Aguarde...

ACidadeON Campinas

Campinas
mín. 20ºC máx. 36ºC

cotidiano

Saúde investiga intoxicação após fumacê contra dengue

A Visa já descartou intoxicação pelo produto utilizado, porém abriu investigação para averiguar o que ocorreu com três pessoas

| ACidadeON Campinas


A Visa já descartou intoxicação pelo produto utilizado (Foto: Divulgação/PMC)

A Prefeitura de Campinas investiga três casos de pessoas que passaram mal após um bloqueio químico passar pelo bairro Jardim Eulina, na semana passado. Até agora já foi descartado intoxicação causada pelo produto utilizado no combate ao mosquito Aedes aegypti.

A Visa (Vigilância em Saúde) esteve no local durante toda a manhã desta segunda-feira (11), investigando a situação e através dos sintomas apresentados já descartaram intoxicação por organofosforado, que é utilizado no no controle de pragas.

As pessoas foram todas atendidas na sexta-feira (07) e a Visa iniciou investigação para apurar o caso. O sangue já foi colhido e enviado para exames.

Uma destas vítimas, uma mulher, ainda está internada e a previsão de alta é hoje. Nenhuma delas corre risco de morte.

As três pessoas que relataram ter sentido desconforto não apresentaram quadro clínico compatível com intoxicação pelo produto utilizado, chamado Malathion.

"O que mais parece é que foi uma hipersensibilidade causa pelo cheiro. Elas entraram no ambiente nebulizado depois de duas horas, o que é completamente seguro. A intoxicação pelo inseticida já foi descartada", afirmou o médico epidemiologista e coordenador do Programa de Dengue da Prefeitura de Campinas, André Ribas Freitas.

O produto é distribuído pelo Ministério da Saúde para todos os municípios brasileiros e há vinte anos é usado em Campinas em ações de bloqueio químico contra o Aedes aegypti sem registros de intoxicação.

"O uso segue rigorosamente o protocolo do Ministério da Saúde e todas as recomendações foram atendidas na ação realizada no Jardim Eulina", explicou a nota oficial da prefeitura.

O CCI (Centro de Controle de Intoxicações) da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) foi notificado, conforme recomendação do Ministério da Saúde.

Mais do ACidade ON