Aguarde...

ACidadeON Campinas

Campinas
mín. 20ºC máx. 36ºC

cotidiano

MP apura ameaças de Sylvino a juiz do Caso Ouro Verde

Primeiro escalão do Ministério Público Estadual virá a Campinas nesta quinta-feira para falar sobre o caso

| ACidadeON Campinas

 

O empresário e presidente do Grupo RAC Sylvino de Godoy Neto (Foto: Divulgação/Prefeitura de Campinas)

A reportagem do ACidade ON Campinas apurou que os integrantes do primeiro escalão do Ministério Público Estadual que virão a Campinas nesta quinta-feira (14) falarão sobre uma investigação em curso que apura ameaças feitas pelo empresário Sylvino de Godoy Neto, dono do jornal Correio Popular, ao juiz Caio Ventosa Chaves, da 4ª Vara Criminal de Campinas, que cuida do caso Ouro Verde.

Sylvino teve o mandado de prisão expedido pelo juiz na terceira fase da operação, em novembro do ano passado, mas não chegou a ser preso porque alegou problemas de saúde e foi internado no dia em que a operação foi desencadeada. Depois, ele conseguiu liminar para cumprir prisão domiciliar.

Em nota, o advogado de Sylvino, Ralph Tórtima, criticou a iniciativa do MP. "É tecnicamente inconcebível, difícil de acreditar, que o Ministério Público queira discutir questões processuais em entrevista coletiva à imprensa, sem que nada de novo esteja a justificar esse encontro", afirmou.

Ainda segundo ele, Sylvino "jamais praticou qualquer ato que pudesse, sequer levemente, interferir no trabalho das autoridades investigantes ou do magistrado que preside o feito".

Ele também citou a decisão do Tribunal de Justiça que "analisou todas essas questões, decidindo, por unanimidade, pelo descabimento das prisões preventivas, soltando aqueles que se encontravam presos, bem como mantendo Sylvino de Godoy Neto em liberdade."

"Logo, somente posso ver essa forçada e injustificável coletiva como uma afronta à decisão dos três desembargadores (do TJ)", disse o advogado na nota.

Comentários

"O site não se responsabiliza pela opinião dos autores. Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ACidade ON. Serão vetados os comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. ACidade ON poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios deste aviso."

Facebook