Aguarde...

ACidadeON

Voltar

cotidiano

Após CP, oposição articula nova investida contra Jonas

Pedro Tourinho (PT) busca o apoio de mais dos vereadores para abrir CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para investigar a Saúde

| ACidadeON Campinas

Após a CP (Comissão Processante) do Ouro Verde absolver o prefeito de Campinas Jonas Donizette (PSB), em decisão ratificada ontem (27) pelos vereadores da cidade, o grupo de oposição ao chefe do Executivo, já articula uma nova investida contra o governo. 

Os parlamentares trouxeram de volta à pauta o debate para abrir uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para investigar as falhas do sistema de saúde na cidade. A discussão surgiu em dezembro de 2017, por iniciativa do vereador Pedro Tourinho (PT), logo depois que o Ministério Público deflagrou a primeira fase da Operação Ouro Verde, que apura desvios de verba pública no hospital.
 

 

Vereador Pedro Tourinho já havia pedido a abertura da CPI em 2017. Foto: Divulgação/Câmara de Campinas


E foi durante a própria CP que a CPI ganhou força e ressurgiu das cinzas. Ontem, Tourinho conseguiu o apoio de mais dois vereadores para a proposta - Paulo Galtério (PSB) e Luiz Cirilo (PSDB). Eles se juntam a Mariana Conti (Psol), Tenente Santini (PSD), Marcelo Silva (PSD), Carlão do PT, Gustavo Petta (PCdoB) e Nelson Hossri (Podemos), além do próprio Tourinho, como signatários do pedido.  
 
LEIA TAMBÉM 
Fevereiro termina com mais chuva em Campinas
Como votou cada vereador na denúncia contra Jonas


Com nove assinaturas, faltam apenas duas para que a comissão seja aberta - é necessário o apoio de 1/3 da Casa, ou 11 vereadores, para tirar o pedido do papel.

Os apoios podem vir, por exemplo, de Campos Filho (DEM), que votou a favor da cassação de Jonas, provavelmente seguindo orientação de seu partido, e Vinicius Gratti (PSB) ou Zé Carlos (PSB), que apesar de integrarem a base do governo andam insatisfeitos com a gestão da Saúde e têm sido pressionados por seus redutos eleitorais a tomarem medidas para melhorar a situação.

O QUE MUDA

Diferente da CP, a CPI não tem o poder de cassar o prefeito. Ela, no entanto, pode municiar órgãos como o próprio Ministério Público com a descoberta de fatos novos e criação de novas provas em uma eventual ação de improbidade administrativa, por exemplo. De qualquer forma, caso a ideia vingue, o governo Jonas enfrentaria mais alguns meses de desgaste frente o Legislativo.

A composição da CPI também é diferente. Enquanto a CP é composta por três membros escolhidos por sorteio, a CPI tem sete integrantes definidos de acordo com a proporcionalidade dos partidos na Casa. O presidente é o autor do pedido - neste caso, Pedro Tourinho (PT), que é da oposição.

Comentários

"O site não se responsabiliza pela opinião dos autores. Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ACidade ON. Serão vetados os comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. ACidade ON poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios deste aviso."

Facebook

Mais do ACidade ON