Aguarde...

ACidadeON Campinas

Campinas
mín. 20ºC máx. 36ºC

cotidiano

Obras do BRT devem durar mais 15 meses; confira raio-X

Intervenções ocorrem ao mesmo tempo e não em etapas, segundo a Emdec, para agilizar a obra; transtornos testam a paciência do campineiro

| ACidadeON

As obras ocorrem ao mesmo tempo e testam a paciência do campineiro (Foto: Carlos Bassan/Prefeitura de Campinas)

A construção dos três corredores do BRT (Bus Rapid Transit) em Campinas, que ligarão os distritos do Campo Grande e Ouro Verde à região Central, está 20% concluída, segundo a Emdec (Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas). O trecho mais adiantado é o do Corredor Perimetral, 44% feito. Todo o projeto tem orçamento de R$ 452,5 milhões, e a previsão de entrega é junho de 2020.

O presidente da Emdec e secretário de Transportes, Carlos José Barreiro, afirmou que os corredores irão diminuir de 20% a 25% o tempo de viagem dos moradores das regiões. Porém, enquanto não é finalizada, a construção tem testado a paciência dos motoristas.

Isso porque os trabalhos, divididos em quatro lotes, são executados ao mesmo tempo por empresas diferentes. Ou seja: há canteiros de obras em vários pontos, atrapalhando o trânsito em diversos locais simultaneamente. Segundo o secretário, a Emdec optou por fazer os corredores ao mesmo tempo para as vias serem concluídas em dois anos e meio e não em cinco.

"Se nós fizéssemos a obra de forma sequencial, cada corredor duraria de dois a dois anos e meio. Levaria cinco anos. E nós vamos fazer em três, tudo. Por isso decidimos fazer de maneira simultânea. Nosso trabalho no momento é para minimizar os transtornos, criando rotas alternativas, priorizando o transporte público em alguns trechos."

Além de ser mais rápido, o fim das obras em junho do ano que vem permite que o BRT seja utilizado politicamente por Jonas nas eleições municipais - que ocorrerão em outubro.  



O QUE FALTA

Ao todo, serão construídos três corredores do BRT em Campinas (Campo Grande, Ouro Verde e Perimetral), com extensão total de 36,6 quilômetros. A Emdec espera terminar até dezembro todas as obras estruturais. Os trabalhos de acabamento, iluminação, paisagismo e implantação da inteligência do sistema ficarão no início de 2020.

Nos corredores do BRT circularão apenas os veículos novos do sistemas: ônibus comuns devem circular apenas em vias coletoras, dentro dos bairros. O piso dos corredores do será de concreto, mais resistente do que asfalto usado nas pistas marginais. Os novos veículos serão articulados e menos poluentes, porque não serão a diesel, de acordo com a Emdec. Todos os modais serão integrados ao sistema de tarifa única, que hoje expira em 2 horas.

RAIO-X  

- 425 mil pessoas das regiões do Ouro Verde e Campo Grande serão atendidas pelos corredores do BRT (40% da população de Campinas)
- A demanda estimada será de 250 mil passageiros por dia útil
- Hoje há 20,7 km de trechos em obras

Corredor Ouro Verde
- 14,6 km
- 5 estações de transferências
- 2 terminais
- 4 novas pontes e viadutos

Corredor Campo Grande
- 17,9 km
- 4 estações de transferência
- 3 terminais
- 12 novas pontes e viadutos

Corredor Perimetral (de ligação)
- 4,1 km
- 4 paradas
 

 

CONSTRUTORAS RESPONSÁVEIS

Lote 1
Compreende o trecho 1 do Corredor Campo Grande, que é a ligação entre a região central até a Vila Aurocan, com extensão de 4,3 km; além de todo corredor perimetral, com 4,1 km. O responsável pelo Lote 1 é o Consórcio Corredor BRT Campinas, formado pela Arvek, D. P. Barros, Trail, Enpavi e Pentágono. O valor total do lote é de R$ 88,9 milhões.

Lote 2
Trechos 2, 3 e 4 do Corredor Campo Grande. Esses trechos contemplam a ligação da Vila Aurocan até o Terminal Itajaí, totalizando 13,6 km. O trecho 2 é da Vila Aurocan até o viaduto sobre a Rodovia dos Bandeirantes, com 5 km. O trecho 3 compreende o viaduto da Rodovia dos Bandeirantes até o Terminal Campo Grande, totalizando 6,4 km. E o trecho 4, do Terminal Campo Grande até o Terminal Itajaí, totalizando 2,2 km. Responsável: Empresa Construcap CCPS Engenharia e Comércio. Valor total do lote: R$ 191,1 milhões.

Lote 3
Trecho 1 do Corredor Ouro Verde, que liga a região central até a Estação Campos Elíseos, com 4,8 km de extensão. Responsável: Empresa Compec Galasso. Valor total do lote: R$ 66,5 milhões.

Lote 4
Trechos 2 e 3 do Corredor Ouro Verde, que compreende a ligação da Estação Campos Elíseos até o Terminal Vida Nova, totalizando 9,8 km de extensão. O trecho 2 vai da Estação Campos Elíseos até o Terminal Ouro Verde, com 5,7 km. E o trecho 3 liga o Terminal Ouro Verde até o Terminal Vida Nova, com 4,1 km. Responsável: Consórcio BRT Campinas (Artec; Metropolitana). Valor total do lote: R$ 104,9 milhões.

Comentários

"O site não se responsabiliza pela opinião dos autores. Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ACidade ON. Serão vetados os comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. ACidade ON poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios deste aviso."

Facebook

Mais do ACidade ON