Aguarde...

cotidiano

É lei: autistas terão atendimento prioritário em Campinas

Projeto de lei que inclui autistas e acompanhantes na lista de atendimento preferencial foi sancionada nesta terça (2) pelo prefeito Jonas Donizette (PSB)

| ACidadeON Campinas

Autismo não é uma deficiência aparente, o que amplia o desconhecimento e preconceito (Foto: Pixabay) 

O prefeito de Campinas, Jonas Donizette (PSB), sancionou nesta terça-feira (2), Dia Mundial de Conscientização do Autismo, a lei que inclui pessoas com autismo e seus acompanhantes no atendimento prioritário em estabelecimentos comerciais e de serviços públicos da cidade, como hipermercados, atacados, guichês de atendimentos.

A lei também estabelece a colocação de placa de identificação, com o símbolo do Transtorno do Espectro Autista (TEA), nos estabelecimentos comerciais do município. O autismo não é uma deficiência aparente, por isso, o símbolo contribuirá para que as pessoas tenham um olhar diferente para esta situação.

O prefeito explicou que a lei foi proposta pelos vereadores Jorge da Farmácia (PSDB) e Luiz Cirilo (PSDB) e vai dar ao acompanhante de pessoas com autismo o mesmo direito dado para gestantes, idosos e pessoas com deficiência física. "O autismo tem determinadas características comportamentais que indica preferência no atendimento, seja num ambiente público ou da iniciativa privada", comentou.

A nova lei promulgada pelo prefeito entrará em vigor 30 dias após a publicação e irá alterar o texto da lei nº 14.789 de 4 de abril de 2014, referente ao atendimento prioritário de idosos, pessoas com deficiência física e gestantes no município.

Conforme a secretária de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos, Elaine Jocelaine Pereira, para os autistas e suas famílias é importante ter essa prioridade no atendimento.

"Essa lei vai colocar em execução esse direito de atendimento preferencial. Sabemos que há graus de autismo e, principalmente, o autista clássico não pode ficar muito tempo sob barulho, em ambientes que possa irritá-lo e incitá-lo a um comportamento mais agressivo que, inclusive, dificulta a sua socialização. Então, quando o prefeito sanciona essa lei, garantimos esse direito e afastamos agravos para essas pessoas e seus familiares", observou a secretária. 

Símbolo mundial do autismo será incluído em placas de atendimento preferencial em Campinas (Foto: Divulgação)

Mais do ACidade ON