Aguarde...

ACidadeON

Voltar

cotidiano

Morre bebê de 6 meses que estava sem vaga na UTI do Mário Gatti

Segundo a Prefeitura, a criança "apresentava graves complicações respiratórias"; ele não conseguiu vaga devido a superlotação

| ACidadeON Campinas

Hospital Mário Gatti, em Campinas (Foto: Reprodução)  
Um bebê de seis meses morreu neste domingo (5) no Hospital Municipal Mário Gatti, em Campinas. Ele estava internado no PS (Pronto Socorro) Infantil da unidade de saúde e era um dos bebês que não conseguiu ser internado na UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) devido a superlotação.

A notificação da morte foi feita pela Secretaria de Saúde na tarde deste domingo. Segundo a Prefeitura, a criança "apresentava graves complicações respiratórias".

A unidade disse ainda que "as equipes de saúde desenvolveram todos os esforços para evitar o ocorrido". No sábado, havia 15 pacientes internados no setor infantil, quando a capacidade é para nove pacientes.

Três dessas crianças chegaram na noite de sexta-feira passando mal, e como não tinha vagas na UTI, foram internadas no pronto-socorro infantil. No sábado de manhã, uma quarta criança também chegou à unidade e teve que ser internada no PS infantil.  
 
LEIA MAIS 
Falta de vagas afeta PS Infantil no Hospital Mário Gatti
Hospital da PUC suspende atendimento nos PSs adulto e infantil
Prefeitura pede que Estado não mande pacientes a Campinas


OUTRO LADO

A Prefeitura além de informar sobre a morte, também comentou a crise de falta de vagas em nota. Leia na íntegra:

"Diante da grande demanda vivida nos últimos dias, a Secretaria Municipal de Saúde de Campinas e a Rede Mário Gatti têm feito todo o possível para atender a todos que buscam os serviços de saúde, com as unidades de pronto-socorro e pronto atendimento sempre de portas abertas. Durante esse período, todos estão recebendo toda a assistência médica necessária.  

A Secretaria Municipal de Saúde está monitorando a ocupação dos leitos de urgência e emergência na cidade e fazendo todos os esforços para transferir as crianças hospitalizadas para leitos de UTI pediátrica, com indicação para essa conduta. 

Importante ressaltar que o sistema de Urgência e Emergência exige responsabilidade compartilhada e as instâncias municipal e estadual estão envolvidas na organização do sistema, de forma a garantir assistência a todos os casos."

Mais do ACidade ON