Aguarde...

ACidadeON Campinas

Campinas
mín. 20ºC máx. 36ºC

cotidiano

Fiéis fazem fila para receber pão e bolo de Santo Antônio

Paróquia distribui pães e vende bolo nesta quarta, Dia de Santo Antônio. Segundo tradição, quem encontro medalha do santo no bolo se casa

| ACidadeON

Voluntários distribuem pães para os devotos (Foto: Renan Lopes/A CidadeON Campinas)

Centenas de devotos fizeram fila nos arredores da Paróquia de Santo Antônio, no bairro Ponte Preta, em Campinas, na manhã desta quinta (13), dia do santo casamenteiro. As celebrações da data começaram com uma missa, e na sequência teve a distribuição de pães benzidos e a venda do tradicional bolo do santo que neste ano foi produzido com 176 metros.

Santo Antônio é dos santos mais venerados do País e por isso o movimento em torno da igreja é intenso. Agentes da Emdec (Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas) ficarão ao longo do dia auxiliando os fieis que vão ao local com veículo.

As primeiras missas foram às 7h e 9h, mas outras ainda serão celebradas às 11h, 13h, 15h, 17h e 19h.  



BOLO

O bolo deste ano é o maior já feito pela paróquia com 176 metros. Mas o recorde é batido a cada ano, o primeiro, feito em 1998, tinha apenas 13 metros. O bolo é feito com massa de pão de ló, molhado com calda de açúcar, cravo e canela e recheado de doce leite.

Dentro do recheio do bolo estão espalhadas 4 mil medalhas do santo. Segundo a tradição, quem encontra a medalha no meio do bolo consegue, rapidamente, se casar.

O pedaço individual é vendido a R$ 4,00 e o maior a R$ 15,00. A paróquia espera vender 15 mil pedaços. Ano passado a venda terminou por volta das 15h. A Paróquia de Santo Antônio fica na Avenida da Saudade, nº 854, no bairro Ponte Preta.

RESULTADOS

A empresária Letícia Cereda costuma pegar a fila cedinho com a mãe, Sônia Cereda, há três anos. Ano retrasado ela pegou a fila para conseguir um namorado. E a devoção rendeu resultado: ela foi pedida em casamento ontem, na quarta (12), Dia dos Namorados. "Encontrei a medalhinha no bolo em todos anos que vim", disse exibindo orgulhosa o anel. "Ano que vem quero voltar já com a data do casamento".

A advogada Yoshie Kuninari, de 59 anos, também pega a fila todos os anos, mas, diferente de Letícia, ela faz por devoção, colecionando as medalhas dos bolos de todos os anos, sem nem saber dizer quando começou. "Só ano passado que comprei dez bolos e não encontrei nenhum", disse rindo enquanto exibia as medalhas em um saquinho que carrega na carteira. Ela comprou diversos pedaços de ambos os tamanhos disponíveis para distribuir entre familiares e amigos.  


Mais do ACidade ON