Aguarde...

ACidadeON Campinas

Campinas
mín. 20ºC máx. 36ºC

cotidiano

Estação Cultura vai começar a cobrar uso a partir de novembro

De acordo com a publicação feita no Diário Oficial desta quarta-feira, será cobrado o aluguel do espaço para utilização para fins privados e lucrativos

| ACidadeON Campinas

Estação Cultura começará a cobrar por eventos privados a partir de novembro (Foto: Denny Cesare/Código19) 

A Estação Cultura Antônio da Costa Santos, de Campinas, vai começar a cobrar o aluguel do espaço para utilização para fins privados e lucrativos. A informação foi divulgada pelo Decreto 20.455, publicado no Diário Oficial desta quarta-feira (11).

CLIQUE AQUI E CONFIRA O EDITAL NA ÍNTEGRA

De acordo com o documento, as novas regras passarão a entrar em vigor a partir do dia 1º de novembro deste ano. Ainda não há uma estimativa do quanto será arrecadado pela Secretaria de Cultura.

A cobrança está dividida em diversos valores e setores. Uma pequena sala vai custar um preço bem menor que o espaço todo da Estação.

No final de julho, a SPU (Superintendência do Patrimônio da União) estabeleceu a cessão provisória da Estação Cultura pelo Governo Federal. Com isso, a Administração ficou liberada para fazer cobranças no local.

Segundo Ney Carrasco, secretário de Cultura, o decreto vem sendo trabalhado há bastante tempo e vai funcionar nos mesmos moldes do que ocorre nos teatros da cidade.

"Quando a organização for privada ou gerar lucros vai haver cobrança sim. Estão usando um espaço público e por isso tem que pagar uma taxa pública. O mesmo também ocorre com a Setec", explicou o secretário.

Atualmente a Estação Cultura de Campinas recebe cerca de 250 ações por ano e um público de 280 mil pessoas. Este último número, inclusive, tem aumentado cerca de 20% ao ano. São eventos como shows, oficinas, cursos, reuniões, formações, entre outros.

Carrasco explicou que as ações públicas, feitas através de editais, ou encontros dos diversos conselhos e movimentos que ocorrem no local vão continuar gratuitas.

"Eu acho que a rotina da Estação será mantida a mesma. A agenda é muito grande e a procura também, tanto que já estamos trabalhando com 2020, porque essa ano está completo", continuou.

O secretário também afirmou que a arrecadação será revertida na manutenção e investimento do local, assim como é feito com outros espaços culturais da cidade. 


Mais do ACidade ON