Aguarde...

cotidiano

Vídeo mostra agressão de adolescentes em frente à Hípica

Imagens mostram detalhes do espancamento de três adolescentes contra outro jovem em Campinas; vazamentos serão investigados pela polícia

| ACidadeON Campinas

 

Vítima tentou fugir de agressor, enquanto carro acompanhava o ataque (Foto: Reprodução)
*Atualização no dia 26/09, às 18h53: O vídeo foi editado por força de decisão judicial. 

Imagens do circuito de segurança do entorno do clube da Hípica de Campinas vazaram na tarde desta sexta-feira (20) e revelam as cenas de agressão de três adolescentes contra outro jovem de 17 anos, no Jardim das Palmeiras. O caso ocorreu no começo deste mês. 

Os vazamentos das imagens e da decisão da Justiça que determinou a apreensão dos três suspeitos ontem (19), serão investigados pelo MP (Ministério Público) e pela Polícia Civil, por se tratarem de um caso envolvendo menores de idade (leia mais abaixo).
O ataque ocorreu no último dia 2 na Rua Buriti, no bairro das Palmeiras, em frente ao clube.

A vítima sofreu fraturas graves e chegou a ficar internada no hospital após uma cirurgia. A desavença entre os adolescentes, todos com 17 anos, ocorreu porque a vítima teria ficado com uma ex-namorada de um dos agressores. Dois dos adolescentes envolvidos na agressão em frente ao clube já estão apreendidos em unidades da Fundação Casa de Campinas desde ontem à tarde. 

O terceiro agressor também foi apreendido pela Justiça, mas teve uma crise de ansiedade e foi internado no HC (Hospital de Clínicas) da Unicamp e ficou sob escolta da Polícia Militar. Ainda pela manhã, ele foi levada a uma das unidades da Fundação Casa. Os três estão em quartos separados, como forma de garantir a integridade deles. O caso de espancamento aconteceu no começo deste mês e causou repercussão na cidade.    


O VÍDEO DE SEGURANÇA

As imagens mostram a sequência de toda a agressão. Um carro deixa os três adolescentes em frente à casa da vítima por volta de 19h55 e eles se dirigem ao portão da residência. A vítima sai da casa e os meninos conversam durante dois minutos. Às 19h58 é desferido o primeiro soco.

Não é possível, pelas imagens, identificar quem foi o primeiro agressor. Em seguida, os outros dois adolescentes também começam a agredir a vítima, que sai correndo pela rua. Os meninos o seguem.

Neste momento, o carro que deixou os três meninos no local - indicado pela polícia como sendo do pai de um dos agressores - acompanha o espancamento. Ele dirige em velocidade baixa ao lado dos meninos, que batem na vítima ora na rua ora na calçada.

Em um primeiro momento, ainda em frente à residência, a vítima chega a cair na rua e a agressão continua. Depois de dois minutos, o menino volta a cair novamente. Nas imagens, é possível ver que o pai - que ainda dirige o veículo - não estaciona, presta socorro à vítima ou ainda tenta impedir fisicamente a agressão. 

A perseguição gravada pela câmera de segurança tem cerca de três minutos. No final do vídeo, os agressores voltam ao local onde o espancamento começou, seguidos pelo pai a pé, que passa a mão na cabeça. A vítima não é mais vista.  

INVESTIGAÇÃO

O MP (Ministério Público) de Campinas e a Polícia Civil informaram na tarde desta sexta-feira que investigam o vazamento das imagens da câmera de segurança e da decisão da Justiça sobre a determinação de apreensão dos três menores, por se tratar de um caso envolvendo menores de idade.

O caso também está sendo investigado pela Delegacia de Infância e Juventude. Já o 13º Distrito Policial apura a suposta participação do pai de um dos agressores, um advogado criminalista de Campinas. É ele quem acompanha os meninos durante a agressão.  

A JUSTIÇA 

Os menores foram denunciados por lesão corporal pelo Ministério Público. O juiz da 3ª Vara Criminal, Nelson Augusto Bernardes de Souza, marcou audiência para a próxima segunda-feira.

Segundo a sentença dada nesta quinta-feira, logo após os fatos, a vítima recebeu, via aplicativo, mensagem ameaçadora de autoria de um dos agressores, que alertava o ofendido a não frequentar os mesmos locais. Ainda na sentença, o juiz afirmou, que o ato "foi praticado com extrema frieza e crueldade".

Em seguida a vítima conseguiu sair, mas foi perseguida e agredida novamente "de forma covarde", quando novamente caiu. O jovem teve fratura de órbita, com grande potencial de sequelas, caso o olho seja lesado ou, ainda que a visão não seja diretamente afetada, haja dificuldade de movimentação ocular pelo mal posicionamento das estruturas orbitárias que a fratura causa. Além disso, a fratura nasal, também pode ser permanente. 

OUTRO LADO 

O advogado Daniel Bialski, que representa um dos adolescentes, informou em nota que "reitera que as imagens das câmeras de vigilância mostram que o pai do adolescente JPBS apartou a briga e tentou prestar socorro, mas o adolescente ferido preferiu entrar na Hípica, onde seu pai declinou expressamente do atendimento pelo serviço de ambulância daquele clube".

Além disso, o advogado disse que "já pediu à Justiça a identificação do(s) autor(es) do vazamento das imagens e outros documentos que integram o processo trata-se de crime, já que o processo corre em segredo de Justiça".

O advogado Alexandre Sanches Cunha, que defende outro agressor, afirmou que está perplexo em relação a soltura dos vídeos e que aguarda uma resposta da Justiça em relação ao seu cliente que está internado na Fundação Casa.

Mais do ACidade ON