Aguarde...

ACidadeON

Voltar

cotidiano

Consulta sobre escola cívico-militar ocorre na próxima semana

Quem tem direito a voto são os professores, alunos, pais e funcionários, que formam a comunidade escolar da unidade.

| ACidadeON Campinas

Emef Profª Odila Maia Rocha Brito foi a escolhida (Foto: Renan Lopes/ACidade ON Campinas) 

O Prefeito de Campinas, Jonas Donizette (PSB), confirmou que a consulta à comunidade sobre a escola cívico-militar deve ocorrer na próxima semana, na quinta-feira. A Emef (Escola Municipal de Ensino Fundamental) Profª Odila Maia Rocha Brito, no bairro São Domingos, foi a escolhida para aderir ao programa federal.  
 
LEIA MAIS 
Escola do São Domingos é escolhida para ser cívico-militar

Vereador critica "imposição" de modelo cívico-militar 
MP vai acompanhar inclusão de escola cívico-militar  

A Secretaria de Educação disse que a consulta é aberta à comunidade (bairro), mas quem tem direito a voto são os professores, alunos, pais e funcionários, que formam a comunidade escolar da unidade.

"Deve ocorrer na próxima semana. Eu acredito que os pais vão querer, mas vamos ouvir e respeitar a decisão. Caso eles não queiram, vamos encaminhar ao Ministério da Educação e ver o que poderemos fazer", afirmou Jonas.

Os critérios para escolher a unidade, que fica na Rua Juvenal de Oliveira, foi o menor Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) da rede, ser do 6ª ao 9ª ano, ter entre 500 e 1.000 alunos e estar em área de vulnerabilidade. A escola tem, atualmente, 775 alunos.

COMO FUNCIONARÁ

Cerca de 1 mil militares da reserva das Forças Armadas, policiais e bombeiros militares da ativa vão atuar na gestão educacional das instituições. Em 2020, o MEC destinará R$ 54 milhões para levar a gestão de excelência cívico-militar para 54 escolas, sendo R$ 1 milhão por instituição de ensino. São dois modelos.

Em um, de disponibilização de pessoal, o MEC repassará R$ 28 milhões para o Ministério da Defesa arcar com os pagamentos dos militares da reserva das Forças Armadas. Os outros R$ 26 milhões vão para o governo local aplicar nas infraestruturas das unidades com materiais escolares e pequenas reformas nestas escolas, atuarão policiais e bombeiros militares.

A proposta do governo Bolsonaro é que, até 2023, 216 escolas cívico-militares serão implantadas em todo o país, ou seja, 54 por ano. A escola cívico-militar será pública e há previsão de contrapartida do município.

A gestão, segundo o MEC, será dos militares, mas eles não ocuparão cargos dos profissionais da educação. 

MINUTO ON 


Comentários

"O site não se responsabiliza pela opinião dos autores. Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ACidade ON. Serão vetados os comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. ACidade ON poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios deste aviso."

Facebook

Mais do ACidade ON