Aguarde...

ACidadeON

Voltar

cotidiano

Prefeitura amplia contrato do tapa-buraco em 15,6%

Empresas receberão R$ 14,8 milhões para prestar o serviço pelos próximos seis meses; contrato anterior era de R$ 12,8 milhões

| ACidadeON Campinas

Empresas receberão R$ 14,8 milhões para prestar o serviço pelos próximos seis meses (Foto: Divulgação/PMC) 

Em ano de eleição municipal, o prefeito de Campinas, Jonas Donizette (PSB), prorrogou por seis meses o contrato com as empresas que realizam o serviço de tapa-buracos na cidade e ampliou os valores pagos em 15,6%. As empresas Casamax Comercial Ltda. e Eteng Engenharia receberão R$ 14,8 milhões para realizar os reparos na malha asfáltica.

Na renovação anterior, o contrato para a prestação do mesmo serviço por seis meses custou aos cofres públicos R$ 12,8 milhões. A Eteng Engenharia e Serviços Ltda. receberá R$ 5.033.770,00 e a Casamax Comercial Ltda o valor de R$ 9.796.292,94. As empresas operam com caminhão térmico, fornecimento e aplicação de concreto betuminoso usinado quente e outros materiais.

Apesar do aumento nos valores, o serviço é o mesmo. Segundo o secretário de Serviços Públicos, Ernesto Paulella, o reajuste ocorreu devido ao aumento preço dos derivados do petróleo e não pela demanda de serviços.

"Com a Casamax, houve um reequilíbrio de preço de 15,65%, que é previsto em lei e em contrato. Isso acontece quando um dos itens do contrato tem um aumento ou diminuição no preço de mercado. Um dos itens que teve uma variação grande foi a massa asfáltica: em um ano teve uma alta de mais de 50%, porque é derivado de petróleo. É um produto comercializado pela Petrobras. E isso desequilibrou o preço da tonelada da massa asfáltica e a empresa pediu o reajuste. Os economistas da Prefeitura refizeram os cálculos e definiram o aumento de 15,65%", afirmou.

Além do reequilíbrio, a Prefeitura também concedeu o reajuste contratual de 4%. "O contrato de 6 meses anterior era de R$ 12,8 milhões. Agora será de R$ 14,8 milhões. Uma diferença R$ 1,945 milhão, referente ao equilíbrio e mais o reajuste. A quantidade de produto e serviço é a mesma do contrato anterior. Serão 10 equipes por dia rodando a cidade", disse o secretário.

Em junho de 2018, a Prefeitura renovou o contrato com as duas empresas por 12 meses. Naquela época, foram pagos R$ 21 milhões, o equivalente a R$ 10,5 milhões por seis meses.

LÍDER DE QUEIXAS

Os buracos de rua lideram o ranking de reclamações de Campinas, segundo dados obtidos pelo serviço on-line da Prefeitura. De acordo com o Colab, 25% das denúncias deste ano são sobre buracos. Os problemas se agravam com as chuvas e, de acordo com o Cepagri (Centro de Pesquisas Meteorológicas e Climáticas Aplicadas à Agricultura), janeiro deste ano já está com volume 41% maior de precipitações do que os primeiros dias em 2019.

Segundo dados da Prefeitura, em 2019, a Administração fechou 400 mil buracos e recapeou 130km de asfalto.

Os buracos de rua também estão entre as queixas dos moradores aos vereadores da cidade. Essas pequenas obras, muitas vezes, servem para que os parlamentares conquistem os votos em seus redutos eleitorais. Os beneficiados com essas obras integram a base governista de Jonas.

Mais do ACidade ON