Aguarde...

cotidiano

Trem Intercidades volta a ser discutido em audiências a partir de abril

As consultas devem começar pelos municípios envolvidos com a primeira parte do projeto, que envolve as regiões metropolitanas da Capital, Jundiaí e Campinas

| ACidadeON Campinas

 

Ramal ferroviário corta Estação Cultura em Campinas. (Foto: Luciano Claudino/Código 19/Arquivo)

Os municípios que serão cortados pelo TIC (Trem Intercidades), que ligará São Paulo a Americana, passando por Campinas, terão audiências públicas em abril para discutir os impactos ambientais e sociais do projeto. As consultas devem começar pelos municípios envolvidos com a primeira parte do projeto, que envolve as regiões metropolitanas da Capital, Jundiaí e Campinas. Depois, serão feitas audiências na Baixada Santista e na Região do Vale do Paraíba, que devem fazer parte do projeto no futuro.  

A construção do modal de transporte, que está há 16 anos no papel e já teve pelo menos quatro projetos diferentes, deve ser licitada até o final do ano. A expectativa é que o eixo de Campinas a São Paulo seja viabilizado por uma PPP (Parceria Público-Privada), que incluirá a implantação do TIC e a operação, manutenção e conservação da Linha 7-Rubi.

A estimativa é que esse trecho custe pelo menos R$ 7 bilhões, mas em reunião em Campinas com o Conselho de Desenvolvimento da RMC nesta terça-feira (21), o secretário executivo da Secretaria de Transportes Metropolitanos do Estado, Paulo Galli, se esquivou de falar em valores.  

O deputado estadual Rafa Zimbaldi (PSB-SP), presidente da Comissão de Assuntos Metropolitanos e Municipais da Assembleia Legislativa, explicou que a organização das audiências começa em fevereiro. "Vão participar a população, a Secretaria de Transportes Metropolitanos e o deputados que participam da comissão. O trem intercidades é prioridade da comissão e deve ser o foco da nossa pauta". O grupo espera que o edital de licitação saia em junho.  

RAIO-X  

Na reunião, Galli apresentou detalhes do funcionamento dos trens. A primeira fase do TIC vai construir a ligação da estação Barra Funda, na Capital, até Campinas, utilizando a Linha-7 Rubi. O serviço expresso que percorrerá 100 quilômetros em uma velocidade média de 95 km/h até Campinas, sairá de São Paulo e fará uma parada em Jundiaí, em um tempo estimado de viagem de 1 hora e 5 minutos. Esses trens terão capacidade para até 500 passageiros sentados.  

Já o chamado "serviço parador" terá nove paradas em 65 quilômetros, saindo de Francisco Morato e passando por Botujuru, Campo Limpo Paulista, Várzea Paulista, Jundiaí, Louveira, Vinhedo, Valinhos e Campinas. Os trens farão a viagem em 1 hora e 8 minutos. A fase 2, de Campinas a Americana, terá 36 quilômetros.  

Haverá um período de transição da linha da CPTM até a concessão, e para o TIC serão necessárias intervenções e obras nos trilhos entre Jundiaí e Campinas concedidos pelo governo federal e por onde passam os trens de cargas.  
 
LEIA TAMBÉM 
Governo quer início de obras do Trem Intercidades em 2021
Estado buscará dinheiro para Trem Intercidades junto ao BID
Trem Intercidades vira "puxadinho expresso" da CPTM
 

Mais do ACidade ON