Aguarde...

ACidadeON

Voltar

cotidiano

Saúde coloca 11 bairros de Campinas em alerta de dengue

Mensagens foram enviadas aos moradores nas redes sociais

| ACidadeON Campinas

Intenção é conscientizar a população, principalmente, nessas áreas para impedir a proliferação de criadouros do mosquito. (Foto: Luciano Claudino/Codigo19
A Secretaria de Saúde colocou 11 bairros de Campinas em alerta por correrem o risco de transmissão de dengue. A medida sugere que a população intensifique os cuidados e a eliminação de criadouros do mosquito Aedes Aegypti. 

São eles: Jardim do Vovô, Pacaembu, Chapadão, Cidade Universitária I, Jardim Santa Terezinha, Paraíso de Viracopos, Vila Vitória, Jardim Maracanã, Novo Maracanã, Novo Mundo e o Núcleo Residencial Princesa Doeste. 

A intenção com o alerta, é conscientizar a população, principalmente, nessas áreas para impedir a proliferação de criadouros do mosquito. 

O último levantamento da doença divulgado no último dia 27 apontou que até o dia 22, 34 casos haviam sido computados na cidade. No ano passado, a cidade encerrou o ano com 26.310 casos confirmados e cinco mortes provocadas pela doença. Um novo balanço deve ser divulgado nesta segunda (10). 

Segundo a Vigilância em Saúde, Campinas neste ano, está sob o risco de epidemia. 

MENSAGENS 

No começo do ano a Prefeitura passou a encaminhar mensagens por meio de redes sociais para moradores em áreas de alerta para aumentar a conscientização no combate do Aedes. As mensagens são encaminhadas a cada 15 dias alertando sobre o risco da proliferação do mosquito.  

De acordo com a Secretaria de Saúde, a ideia é que a informação seja usada para mobilizar a população para manter a rotina de combate à dengue dentro dos imóveis. A divulgação é feita por plataformas como o Facebook, Instagram e Whatsapp em formato de imagens e é enviada para grupos de mensagens de forma a obter maior alcance. 

Ainda segundo a pasta de Saúde, o sorotipo que tem circulado na cidade, predominantemente, é o 2. Esse tipo começou a infectar os moradores no ano passado, quando o município registrou quase 30 mil casos notificados da doença. 

O total de infectados pelo vírus fez com que o município registrasse a terceira maior epidemia da história. A pior epidemia registrada por Campinas ocorreu em 2015, com 65.634 casos confirmados. Um ano antes, a cidade contabilizou 42.109 pessoas infectadas pelo vírus. 


Mais do ACidade ON