Aguarde...

ACidadeON

Voltar

cotidiano

Alunos ficam sem aula por falta de professor em escolas

Em uma das escolas, os alunos têm algumas aulas, mas têm as chamadas "janelas"; Prefeitura admite problema e diz que resolverá em março

| ACidadeON Campinas

Uma das escolas sem aula por falta de professores em Campinas (Foto: EPTV/Reprodução) 

Alunos de ao menos duas escolas municipais de Campinas estão sem ir à aula há uma semana por causa da falta de professores e agentes de educação infantil. São elas: a creche Dulcinéia Regina Bittencourt Alves, no Conjunto Habitacional Vida Nova, e a EMEF (Escola Municipal de Ensino Fundamental) Dr. Edson Luis Chaves, no Jardim Santa Rosa. A Prefeitura de Campinas admitiu o problema e disse que resolverá em março (leia mais abaixo)

As aulas começaram no dia 6 de fevereiro na EMEF. Na creche ainda não voltaram totalmente. Na escola municipal do Jardim Santa Rosa, as mães reclamam da falta de professores. Os alunos até vêm para a escola, mas têm as chamadas "janelas". Com isso, muitos deles passam boa parte do tempo na quadra de esportes sem atividade pedagógica.

A mãe de um dos alunos, a vendedora de seguros Patrícia Campo, afirmou que pela manhã há aula, mas a tarde a situação é diferente. "A diretora deu o recado que infelizmente não tinha professores para o início das aulas e que era para a gente aguardar", disse.

Ela é mãe de Isaac, de 5 anos. "Muitas vezes tenho que sair da cidade e acabo ficando presa por conta dele. Quando não peço ajuda de vizinhos e parentes para poder ir trabalhar", afirmou. Outra mãe é Vanessa Ramos que ficou desesperada porque o filho que tem necessidades especiais precisa ir para a escola para socialização. "Ele tem que participar do convívio com outras crianças", disse.

A mãe, inclusive, possui um documento do Caps (Centros de Atenção Psicossocial), reforçando a importância do convívio com outras crianças no ambiente escola para o desenvolvimento do menino de 4 anos. Sem data prevista, ela acabou colocando Júlio Cesar em outra creche, longe de sua casa.  

Documento apresentada pela mãe da importância da socialização do filho na escola (Foto: EPTV/Reprodução)
OUTRO LADO

A Prefeitura de Campinas admitiu o problema e disse que ele deve ser resolvido em março. À EPTV Campinas, a Secretária de Educação de Campinas, Solange Villôn Pelicér, disse que todos os dias e horários perdidos serão repostos. Ela lembrou ainda que 601 profissionais foram contratados pela Prefeitura, entre eles 317 professores. No entanto, desse total, nenhum ainda assumiu o cargo.

(Com informações de Bianca Rosa/EPTV Campinas)

Mais do ACidade ON