Aguarde...

cotidiano

Campinas tem quatro novos casos suspeitos de coronavírus

Todos os pacientes, de 30, 27, 56 e 24 anos estiveram na Itália, país europeu que tornou-se o centro da crise ligada ao surto devido ao aumento de número de casos

| ACidadeON Campinas

O secretário de Saúde, Carmino de Souza, durante coletiva sobre o coronavírus em Campinas (Foto: Bárbara Gasparello/ACidade ON Campinas)

A Prefeitura de Campinas confirmou no final da tarde desta quinta-feira (27) que a cidade tem quatro novos casos suspeitos de coronavírus. O primeiro suspeito foi descartado no dia 19 de fevereiro.  

Todos os pacientes, de 24, 27, 30 e 56 anos estiveram na Itália, país europeu que tornou-se o centro da crise ligada ao surto devido ao aumento de número de casos. Lá, são mais de 400 infectados e 12 mortes.   

Dos quatro casos divulgados hoje pela Prefeitura em Campinas, dois passaram por hospitais públicos e dois por privados. Ainda de acordo com a Prefeitura, todos estão bem, apresentam sintomas brandos da doença e estão sendo monitorados em suas casas.  
 
Ainda segundo a Administração, a data de atendimento nos hospitais de todos os suspeitos foi ontem (dia 26). Os sintomas, no entanto, teve datas diferentes entre as pessoas. Sendo que a pessoa de 30 anos teve o início dos sintomas no dia 17.  Já as pessoas, de 27 e 56 anos, tiveram os sintomas a partir do dia 23. A última, de 24 anos, teve os sintomas no dia 26 e ela também passou por Portugal, França e Holanda. Não foi divulgado o sexo dos suspeitos.   

Todos fizeram exames para detectar a doença que foram enviados ao Instituto Adolfo Lutz. Segundo a Prefeitura, o tempo para que eles fiquem prontos pode demorar até 48 horas. 
 
"De ontem para hoje, tivemos um aumento importante, de 85 casos no Estado. E em Campinas, agora temos quatro suspeitos e que estão em casa, sendo monitoradas por nós. A situação é tranquila", afirmou o secretário de Saúde, Carmino de Souza.
 
Além dos quatro casos suspeitos em Campinas, Valinhos divulgou também hoje que registou ontem, o primeiro caso suspeito de coronavírus. Trata-se de um homem que voltou recentemente de uma viagem à Itália e Israel. O morador está em isolamento domiciliar.

No Brasil, são 132 casos suspeitos da doença e, em São Paulo, 85. Até o momento, apenas um caso foi confirmado e é do empresário de 61 anos que mora em São Paulo.  
 
MONITORADOS 
 
Além dos casos suspeitos, a região de Campinas segue com seis casos de pessoas que estão sendo monitoradas pelas autoridades de Saúde. Todos tiveram contato com o paciente infectado de São Paulo, mas não tiveram nenhum tipo de sintomas. São três pessoas em Vinhedo, duas em Valinhos e uma em Campinas.  
 
Na tarde de hoje o Ministério da Saúde anunciou que vai antecipar a campanha de vacinação contra a gripe por causa do coronavírus. A nova data será no dia 23 de março. No calendário nacional, ela estava inicialmente prevista para começar apenas em abril. No ano passado, a campanha começou no dia 10 de abril (leia mais aqui).

CENTRO DE CONTINGENCIAMENTO
 
O HC (Hospital de Clínicas) da Unicamp foi nomeado ontem pelo Estado como centro de contigenciamento para pacientes com coronavírus. O hospital terá 60 leitos UTI (Unidade de Tratamento Intensivo), sendo vinte deles para pediatria.
 
O coordenador de assistência do HC e chefe da área de infectologia, Plínio Trabasso, afirmou que esses leitos estão ocupados no momento e serão usados caso necessário. Por isso, ele orienta que as pessoas que tenham sintomas de gripe procurem unidades básicas de saúde ou UPA (Unidades de Pronto Atendimento) e não o HC.

Serão essas unidades que encaminharão os pacientes para a Unicamp se forem considerados casos graves e de coronavírus. "Toda a rede segue o mesmo critério do Ministério da Saúde. E, veja, de nove casos que passaram pelo HC, apenas um é suspeito. A imensa maioria das pessoas serão descartadas", explicou o médico infectologista.  
 
Em nota oficial, o HC reiterou, que não vai atender demandas espontâneas e que pacientes com sintomas como tosse, tosse seca, dificuldade de respirar e febre devem procurar as Unidades básicas de saúde (UBS) ou Unidades de Pronto Atendimento (UPA).
 
MINISTÉRIO  

Vale lembrar que parte desses casos suspeitos ainda não foi incluída no balanço oficial do Ministério da Saúde. Pelo Estado, ainda consta três casos suspeitos em Campinas. No Estado, o ministério afirma que são 55 casos suspeitos. Isso ocorre porque o Ministério da Saúde recebeu um grande volume de notificações, de vários estados, e está fazendo uma verificação obrigatória antes de atualizar os números.

Mais do ACidade ON