Aguarde...

cotidiano

Ouro Verde vai avaliar passageiros de Viracopos com sintomas de coronavírus

Secretário de Saúde de Campinas, Carmino de Souza, disse que quem chegar com suspeita no aeroporto será inicialmente avaliado em hospital municipal

| ACidadeON Campinas

O Hospital Municipal Ouro Verde, em Campinas (Foto: Divulgação/Fernanda Sunega)
A Prefeitura de Campinas divulgou na tarde de hoje (27) o plano de contingenciamento municipal para o enfrentamento ao novo vírus coronavírus na cidade. Uma das principais ações é tornar o Hospital Municipal Ouro Verde uma central de avaliação de passageiros com sintomas da doença que chegam de voos internacionais no aeroporto Internacional de Viracopos. Nesta quinta, foram confirmados mais quatro casos suspeitos na cidade (leia mais aqui).

A unidade de saúde será o local onde será feita uma primeira avaliação desse passageiro com os sintomas. A proximidade da unidade de saúde com o aeroporto, pouco mais de 12 quilômetros, foi o que determinou a ação. O HC (Hospital de Clinicas) da Unicamp, que foi nomeado como centro de contingenciamento no Estado e terá 60 leitos UTI (Unidade de Tratamento Intensivo), tem o dobro de distância. Caso os passageiros estejam em condições clínicas graves serão encaminhados para o HC.

A avaliação será feita em passageiros de voos internacionais que chegarem dos países listados pelo Ministério da Saúde - considerados com risco mais elevados, e com sintomas de coronavírus. Entre os países listados pelo Ministério, estão: Alemanha, Austrália, Emirados Árabes, Filipinas, França, Irã, Itália, Malásia, Japão, Singapura, Coreia do Sul, Coreia do Norte, Tailândia, Vietnã e Camboja, além da China.

Segundo a diretora do Departamento de Vigilância em Saúde de Campinas, Andrea Von Zuben, a comunicação será feita de forma a atingir toda a cadeia de operação do terminal. "Viracopos faz parte do sistema de vigilância municipal, estadual e federal. O aeroporto, imediatamente, ao chegar qualquer paciente com sintomas, vai informar para o sistema de notificação. Em caso brando, segue para o Ouro Verde, em caso mais grave para a Unicamp".  

Ela afirmou que o piloto do voo terá a obrigatoriedade de falar pelo sistema de rádio caso haja a suspeita. "O próprio passageiro poderá avisar que notou alguma pessoa com os sintomas", ressaltou a diretora.

"Desde o início da epidemia, há um mês, fomos nos organizando, junto com a Unicamp, o aeroporto de Viracopos e todos os hospitais privados. Nosso plano de contingência está estabelecido independente do que ocorreu de ontem para hoje", afirmou o secretário de Saúde, Carmino de Sousa.

A diretora também afirmou que a principal recomendação de prevenção contra a doença continua sendo a higienização. "Lavar as mãos e usar álcool em gel". Segundo Andréa, a máscara é necessária somente em pessoas que apresentam sintomas e em casos suspeitos.  

Cármino afirmou que está intensificando as ações no setor de saúde e disse ainda que vai disponibilizar água, sabonete e álcool em gel nas repartições públicas como escolas e prédios públicos. "Tanto funcionários da rede pública e privada de saúde tiveram treinamento para saber lidar com pacientes alegando suspeita".  

Ainda segundo a Prefeitura, só é considerado suspeito às pessoas que apresentarem febre associada algum problema respiratório, e que tenha viajado nos últimos 14 dias para países que o Ministério da Saúde incluiu como em alerta de transmissão ativa.
No Brasil, o número de casos suspeitos foi atualizado nesta quinta e chega a 132; No Estado de São Paulo, são 85 casos suspeitos e o único confirmado até o momento no país (um empresário de 61 anos).

SUSPEITOS EM CAMPINAS

A Prefeitura também confirmou que a cidade tem quatro novos casos suspeitos de coronavírus. O primeiro suspeito foi descartado no dia 19 de fevereiro. Todos os pacientes, de 24, 27, 30 e 56 anos estiveram na Itália, país europeu que tornou-se o centro da crise ligada ao surto devido ao aumento de número de casos. Lá, são mais de 400 infectados e 12 mortes (leia mais aqui)
 
Valinhos também investiga um caso suspeito (leia mais aqui). 
 
No país existe um único caso confirmado, é um empresário de 61 anos morador de São Paulo. Ele foi infectado durante uma viagem que fez à Itália, país em que o vírus já estava em circulação.


MONITORADOS  

Além dos casos suspeitos, a região de Campinas segue com seis casos de pessoas que estão sendo monitoradas pelas autoridades de Saúde. Todos tiveram contato com o paciente infectado de São Paulo, mas não tiveram nenhum tipo de sintomas. São três pessoas em Vinhedo, duas em Valinhos e uma em Campinas.  

Na tarde de hoje o Ministério da Saúde anunciou que vai antecipar a campanha de vacinação contra a gripe por causa do coronavírus. A nova data será no dia 23 de março. No calendário nacional, ela estava inicialmente prevista para começar apenas em abril. No ano passado, a campanha começou no dia 10 de abril (leia mais aqui).  
 


Mais do ACidade ON