Aguarde...

cotidiano

Coronavírus: HC da Unicamp estuda restringir atendimentos

O HC informou que estuda como irá seguir protocolos de atendimentos ambulatoriais e cirurgias eletivas

| ACidadeON Campinas

Hospital de Clínicas anunciou restrição no atendimento (Foto: Luciano Claudino/Código19) 

O HC (Hospital de Clínicas) da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) vai estudar uma possível restrição de diversos procedimentos. O anúncio foi feito logo após a universidade anunciar a suspensão das atividades até o dia 29 de março por causa da pandemia de coronavírus.  
 
LEIA MAIS 
Coronavírus: Unicamp suspende atividades de 13 a 29 de março


Segundo a assessoria de imprensa do HC, o protocolo do Ministério da Saúde sugere a suspensão de atendimentos ambulatoriais e cirurgias eletivas. A medida se faz necessária para poupar recursos como sangue, insumos, leitos, ventiladores mecânicos e etc. O HC vai estudar como isso será feito.

UNICAMP

A Unicamp já anunciou que vai suspender suas atividades de 13 a 29 de março em virtude da pandemia de coronavírus. A medida também vale para o campus de Limeira. Por dia, na Unicamp, circulam cerca de 50 mil pessoas por dia.

Serão mantidas apenas as atividades essenciais, que ainda serão definidas e informadas à comunidade pelo comitê de crise criado pela Reitoria. As aulas na universidade começaram na semana passada.

CASOS

Segundo o último balanço do Ministério da Saúde, divulgado no fim da tarde desta quarta (11), o país tem 52 casos confirmados, 907 casos suspeitos e 935 descartados.

O balanço aponta que São Paulo é o estado com mais casos e soma ao todo 30 pacientes com a Covid-19 (29 na Capital e um em Santana do Parnaíba). Na sequência aparecem Rio de Janeiro (13), Bahia (2), Rio Grande do Sul (2), Distrito Federal (2), Alagoas (1), Minas Gerais (1) e Espírito Santo (1).

PANDEMIA

A OMS (Organização Mundial da Saúde) decidiu nesta quarta (11) declarar que há uma pandemia do novo coronavírus em curso no mundo com a sua disseminação por mais de cem países, em todos os continentes.

Segundo o diretor-geral da OMS, nunca se viu uma pandemia provocada por um coronavírus, mas, ao mesmo tempo, nunca vimos uma pandemia que pode ser controlada. Segundo ele, é um momento que deve envolver a ação de todos os setores e indivíduos.

Não há uma regra clara sobre fechar ou não estabelecimentos, escolas, aeroportos e fazer grandes quarentenas, segundo Michael Ryan, chefe do departamento de emergência da OMS em Genebra.

Acaba sendo uma decisão com base na avaliação de risco de cada país. O especialista deu o exemplo de que na China escolas foram fechadas, enquanto em Singapura, não dois países usados como exemplos positivos da contenção do vírus.

Mais do ACidade ON