Aguarde...

cotidiano

Restaurantes e bares preveem mais 16,5 mil demissões na RMC

Setor estava na expectativa por reabertura nesta segunda (8) em Campinas, mas prefeitura seguiu governo do estado e volta às atividades ainda é incerta

| ACidadeON Campinas

Crise atinge setor de bares e restaurantes em cheio (Foto: ACidade ON)

Uma pesquisa realizada na última semana pela Abrasel RMC (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes da Região Metropolitana de Campinas) junto a seus associados indica que o adiamento da reabertura dos estabelecimentos deve provocar o fechamento de 1,4 mil estabelecimentos, com a demissão de 16,5 trabalhadores.

A pesquisa foi respondida por mais de 110 empresários, a maioria de Campinas, que representam 25% dos associados da entidade. Segundo as respostas, os estabelecimentos já dispensaram 26,7% dos funcionários desde o início da quarentena na região, no final de março. Em números, o setor já demitiu 15 mil funcionários na RMC, sendo metade apenas em Campinas.

Bares e restaurantes operam há 70 dias com as portas fechadas e apenas com delivery e retirada rápida. O prefeito de Campinas, Jonas Donizette (PSB), chegou a anunciar a reabertura dos restaurantes, no horário de almoço e com capacidade reduzida, para a próxima segunda-feira (8), mas acabou seguindo recomendação estadual e mudou de ideia.
 
LEIA TAMBÉM 
Campinas chega a 100 mortes pela covid-19; total de casos é 2.632
Jonas eleva para 38ºC o limite para barrar passageiros em ônibus
 

Se a reabertura das casas acontecesse no dia 8, a estimativa era de um aumento de 24,3% nas demissões (chegando a 20.580 no total). Já se a retomada acontecer no dia 15, as demissões devem chegar a 52,6% dos empregos na região, ou 31.560, dobrando o número em relação aos dados atuais.

Mesmo assim, a reabertura no dia 15 ainda não é uma garantia. Ela depende do avanço de indicadores, como ocupação de leitos de UTI e número de casos de covid-19, para ser autorizada. Na próxima quarta-feira (10) o Estado deve indicar se a região de Campinas permanece na faixa laranja (fase 2) ou avança para a fase amarela (fase 3) da flexibilização.

CRÍTICA

"Estamos em uma semana bastante crítica para o setor", alerta o presidente da Abrasel RMC Matheus Mason. Ele diz estar consciente sobre a importância dos cuidados e medidas adotados para o combate ao coronavírus. "Mas é preciso lembrar que os empresários estão há mais de 70 dias com as atividades suspensas e apenas 15% de vendas estão sendo realizadas pelo delivery, que não é suficiente para pagar as contas de fornecedores, aluguel e salários dos funcionários", explica.

ESTIMATIVA

O levantamento da Abrasel RMC também quis saber qual a expectativa dos empresários quanto à continuidade das atividades em dois cenários. Desde o início da Quarentena, 2,4 mil estabelecimentos (20%) já fecharam as portas.  

Se a reabertura gradual começar no dia 15, o total de empresas fechadas deverá chegar a 3.870 na RMC, sendo metade delas localizadas em Campinas.

Mais do ACidade ON