Aguarde...

cotidiano

Campinas já pode ter 24,5 mil casos de covid-19, diz pesquisa

Testagem feita pela Prefeitura aponta 3,5 casos para cada confirmado, mas representa subnotificação menor que a esperada

| ACidadeON Campinas

 

Números mostram subnotificação menor do que a esperada na cidade (Foto: Denny Cesare/ Código 19)

O secretário de Saúde de Campinas, Carmino de Souza, adiantou nesta sexta-feira (26) alguns dos resultados da pesquisa que aplicou 1,7 mil testes para a covid-19 em moradores assintomáticos de diversas regiões da cidade. A informação sobre a testagem foi feita durante uma transmissão nas redes sociais, onde a Prefeitura atualizou os números de covid-19 e anunciou a permanência dos comércios fechados na cidade.

Segundo Carmino, a pesquisa mostrou que em Campinas os resultados sugerem que a cidade tem cerca de 3,5 casos de covid-19 para cada confirmação - ou seja, cerca de 24,5 mil casos, já que o boletim de hoje mostrou que há 7.027 casos confirmados da doença. Segundo Carmino, no entanto, a subnotificação é menor do que a esperada. Os dados completos serão apresentados na próxima segunda-feira (29).  Nesta sexta, Campinas confirmou ainda 277 óbitos pelo novo coronavírus. 

O secretário disse que o resultado é positivo, e mostra a eficiência no reconhecimento dos casos na cidade.  

"O que a gente sempre discute é a questão da subnotificação. A epidemia é sempre um iceberg, que vemos só a ponta e não o que tem para baixo. O número real de casos geralmente é 10 vezes maior. Mas os dados mostram que a notificação aqui é inferior a isso, isso é resultado de um trabalho eficiente na saúde de reconhecer os casos que passam por nós", declarou. 

Nesta primeira etapa, Campinas testou 599 moradores da região Sul, 434 da leste, 388 na norte, 329 na noroeste e 318 na sudoeste. Segundo a Prefeitura, uma nova etapa da pesquisa será iniciada em cerca de três semanas.

TRANSMISSÃO

Carmino ainda citou os números da taxa de transmissão da doença na cidade. Segundo o secretário, o mês de junho teve uma grande elevação na capacidade de transmissão entre as pessoas, chegando ao percentual de 1,8 - o que representa uma transmissão para quase duas pessoas.

Já hoje, Carmino disse que a transmissão é estimada em 1,4 - ou seja, uma pessoa transmite para quase uma pessoa e meia.

"É muito ruim quando estamos acima de 2, e muito bom quando estamos abaixo de 1. Hoje, enquanto estou falando aqui, está em 1,4, estamos caindo mas ainda não chegamos abaixo de 1, nosso potencial ainda não é o ideal", declarou.

Mais do ACidade ON