Aguarde...

cotidiano

Covid-19: ocupação de leitos de UTI se mantém e está em 87,7%

Taxa de ocupação praticamente não mudou desde ontem, segundo último balanço epidemiológico, quando estava em 88%; Campinas teve hoje ainda recorde no número de mortes por covid-19: 26

| ACidadeON Campinas

Hospital Ouro Verde, de Campinas (Foto: Divulgação) 

Nesta terça-feira (14), dia em que a cidade anunciou o recorde de mortes por covid-19 (26 no total) e passou os 12 mil casos da nova doença, a taxa de ocupação de leitos de UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) exclusivos para coronavírus na cidade praticamente se manteve em relação ao último balanço epidemiológico, divulgado ontem.

Segundo a Prefeitura de Campinas, hoje a taxa de ocupação da rede pública e privada está em 87,7%, sendo que há 52 leitos livres para os pacientes. Ontem, a taxa era de 88% (leia mais aqui). Segundo o prefeito Jonas Donizette (PSB), em live oficial nesta terça-feira, apesar de não ser o ideal, o índice é menor do que em meados de junho. Na época, o SUS municipal ficou sem leitos vagos por dias.

Hoje, no entanto, sob gestão do município, a taxa de ocupação ainda é alta, de 93,55%, mas existem 10 leitos livres. Ou seja, de 155 leitos, 145 estão ocupados. Na rede estadual, que compreende o Ame (Ambulatório Médico de Especialidades) e a o HC (Hospital de Clínicas) da Unicamp, são 12 leitos livres. A taxa de ocupação é de 87,1%. São 93 leitos no total e 81 estão ocupados.

Por fim, na rede particular, a taxa de ocupação é de 82,86%. Dos 175 leitos, 145 estão ocupados, o que equivale a 82,86%.  

ANÁLISES

"Tivemos duas semanas, 14 dias, de ocupação total. Ainda não está a situação ideal, mas está tendo um folego", disse o prefeito. Sobre a situação, o secretário de saúde de Campinas, Carmino de Souza, afirmou que nenhum paciente, em nenhum momento, deixou de ter leitos na cidade.

"Sempre enfatizo que a OMS (Organização Mundial da Saúde) preconiza 20 leitos de UTI para cada 100 mil habitantes. Façam as contas. E estamos falando só de leito UTI covid-19. Temos praticamente o dobro do que a OMS preconiza", afirmou.

Carmino disse ainda que existe uma reserva de leitos de retaguarda na rede municipal, enquanto no HC está com estes leitos completamente ocupados. "Eu disse que podemos cooperar, para ter nossa cidade harmonizada. Temos visto que gradualmente, lentamente, temos tido uma menor pressão de todos os leitos. é impressionante", disse.

Mais do ACidade ON