Aguarde...

cotidiano

Suspeito de matar mulher na frente dos filhos é preso em Guarulhos

Caso ocorreu no dia 19 de julho em Campinas e homem estava foragido desde então; crianças de 1 e 4 anos teriam presenciado crime no distrito de Aparecidinha

| ACidadeON Campinas

Jovem morta pelo ex-companheiro. (Foto: Arquivo pessoal)

O suspeito de matar a namorada de 18 anos a facadas na frente dos filhos de 1 e 4 anos no distrito de Aparecidinha, em Campinas, foi preso nesta segunda-feira (27) em Guarulhos. Lucas dos Anjos Alexandre, de 23 anos, estava foragido desde o dia 19 de julho, quando o crime ocorreu.

O homem foi detido e levado para o 4º DP (Distrito Policial) de Guarulhos e uma equipe da Delegacia da Mulher de Campinas foi ao local na noite de hoje para buscá-lo. A vítima se chamava Ana Carolina Alves Cardoso e ela foi enterrada no dia 20 de julho.

Com este caso, Campinas registrou seis feminicídios desde o começo do ano (veja histórico abaixo). Segundo a família, Ana Carolina e Lucas dos Anjos estavam separados já há alguns meses depois de ficarem cinco anos juntos.

Ele cuidava do filho mais velho e ela, do menor. Aos finais de semana, ele levava o menino maior para visitá-la na casa do pais dela onde a jovem estava morando.

Ainda de acordo com familiares, o ex-companheiro era violento e apareceu na casa da família na madrugada de domingo (19 de julho). Ele disse que o filho mais velho queria vê-la. Com medo, a jovem abriu uma janela da casa para pegar a criança, mas Lucas aproveitou para atacá-la.  

Ele partiu para cima da jovem e a atacou com uma faca. Ela morreu no local. O padastro da vítima de 52 anos, ainda tentou ajudá-la, mas acabou ferido. A casa fica na região da Estrada Municipal Joannine Caumo, segundo o boletim de ocorrência registrado na Polícia Civil.   

Faca que teria sido usada no crime em Campinas (Foto: Reprodução/EPTV Campinas)

AS VÍTIMAS

Esse foi o sexto caso de feminicídio em Campinas neste ano. O primeiro caso aconteceu no dia 3 de janeiro. Camilla Rodrigues Barros, de 29 anos, foi morta motorista de aplicativo, Luis Ferreira da Silva, de 40 anos. Ele atirou na vítima e cometeu suicídio na sequência (leia mais aqui).

Já, o segundo caso registrado pela polícia ocorreu em 1º de março. A caseira Shirley Maria Pereira, de 57 anos, teve 86% do corpo queimado pelo companheiro Ioneto de Moura Silva, de 49 anos. Ela morreu no dia 3 (leia mais aqui).

O terceiro caso também ocorreu em março no dia 8, Dia Internacional da Mulher. Tais Michelle Figueiredo, de 34 anos, foi morta estrangulada por Paulo Silva. ele confessou o crime ao pai (leia aqui).

O quarto caso ocorreu em 1º de junho. Claudenice Eneas Nobre, de 41 anos, foi morta estrangulada pelo companheiro, identificado pela polícia como Francenildo Francisco de Macedo, de 26 anos (leia mais aqui).

O quinto caso também aconteceu no mês passado. A vítima era Neuza de 54 anos que foi morta pelo eletricista de 41 anos no dia 6 de junho. Ele foi preso em flagrante por matar a companheira a facadas no Satélite Íris, em Campinas. O caso foi registrado como feminicídio - a morte por gênero (leia mais aqui).





Mais do ACidade ON