Aguarde...

cotidiano

Campinas fica sem candidato "bolsonarista" para a Prefeitura

Desistência de Tenente Santini e mudanças no PP esvaziam discurso mais próximo das ideias do presidente nas cabeças de chapa

| ACidadeON Campinas

O vereador Tenente Santini (Foto: Divulgação)

Campinas não deve ter nenhum candidato com perfil genuinamente bolsonarista para concorrer ao cargo de prefeito nas eleições deste ano. O vereador Tenente Santini (PP), que tem a imagem mais conectada com as ideias do atual presidente, desistiu de ser candidato e vai apenas apoiar Artur Orsi (PSD) na campanha.

Santini confirmou a desistência após seu partido, o PP, divulgar que o advogado Márcio Chaib assumiu a presidência da legenda em Campinas e que a sigla vai apoiar Rafa Zimbaldi (PL) na corrida ao Palácio dos Jequitibás.

"Não foi o PP que me mandou embora, fui eu que pedi pra sair. Inclusive sou muito grato a todos eles. Estou desistindo da política local", disse Santini à reportagem do ACidade ON.

Ele afirmou que sequer será candidato a reeleição como vereador. "Aquilo lá (a Câmara) precisa renovar, foi uma boa experiência (seu mandato como vereador desde 2017), mas eu tive muito desgaste", completou.

Santini citou como principal motivo para a desistência o desejo de se dedicar mais à sua empresa, a Campseg, do ramo de segurança privada. "O mercado está num momento difícil, quero ficar mais perto da empresa", afirmou.

APOIO A ARTUR ORSI

Em um vídeo em suas redes sociais, Santini explicou que vai apoiar Artur Orsi (PSD) na corrida à Prefeitura. Santini, aliás, era do mesmo partido de Orsi, e teria saído para o PP justamente para poder encabeçar uma chapa nas eleições para prefeito.

"O Orsi não tem exatamente o perfil que eu considero ideal, mas é o que mais chega perto. Ele é íntegro, honesto, sempre combateu a corrupção em Campinas", disse Santini.

"Recebo o apoio do Tenente Santini com muita satisfação, vamos caminhar juntos", afirmou Orsi à reportagem. O vice cotado para a chapa com Orsi, Major Jaime - que era aliado de Santini - agora está descartado já que ele também integra o PP, que vai apoiar Rafa Zimbaldi (PL).

Santini também afirmou que continuará trabalhando com seu "grupo" de candidatos a vereadores. "É um pessoal de direita, são Bolsonaro até a alma, é neles que eu acredito", afirmou.

VAGA EM ABERTO

Com a desistência de Santini, a vaga de "Bolsonaro campineiro" está em aberto. O vereador se dizia próximo da família do presidente e constantemente discursou na Câmara repetindo ideias de Bolsonaro - como o direito ao porte de arma, críticas à esquerda e a ideias progressistas.

"O Orsi é o que chega mais perto (do perfil bolsonarista), mas ainda assim não é. Que realmente pense igual o presidente Bolsonaro, não tem mais ninguém", disse Santini.

Questionado se assumiria uma linha mais ligada ao bolsonarismo em sua campanha, Orsi desconversou. Afirmou apenas que não pretende "nacionalizar" a campanha. "Meu foco é nos problemas de Campinas".

No último dia 13, uma pesquisa do Datafolha mostrou que a popularidade do presidente Jair Bolsonaro chegou ao maior patamar desde o início de seu governo. Segundo o Datafolha, 37% dos brasileiros consideram seu governo ótimo ou bom, ante 32% que o achavam na pesquisa anterior, feita em 23 e 24 de junho.

Mais acentuada ainda foi a queda na curva da rejeição: caíram de 44% para 34% os que o consideravam ruim e péssimo no período. Consideram o governo regular, por sua vez, 27%, ante 23% em junho. 

DEFINIÇÕES 

A pouco menos de três meses das eleições, algumas chapas de prefeito e vice já estão definidas em Campinas, embora a confirmação só comece a partir da próxima segunda (31), com o início das convenções partidárias, que vão até 16 de setembro. 

Dario Saadi e Wanderley Almeida, ex-secretários do prefeito Jonas Donizette (PSB), comporão a chapa governista. O deputado estadual Rafa Zimbaldi (PL) sairá candidato mas seu vice ainda está indefinido.  Pelo PSD sairá Artur Orsi, com o vice também indefinido, e o PT apostará no vereador Pedro Tourinho com Edilene Santana (PSOL) como vice. 

No PDT os nomes variam entre o do ex-prefeito Hélio de Oliveira Santos, Surya Guimarães e Flamínio Maurício. O PC do B sairá com Alessandra Ribeiro e o PSTU, com Laura Leal. 

Ainda se declararam pré-candidatos os também ex-secretários de Jonas Samuel Rossilho (DEM), André Von Zuben (Cidadania) e Rogério Menezes (PV), além da ex-vereadora Delegada Teresinha (PTB), mas ainda não está definido se os partidos se unirão a outras chapas ou terão candidaturas próprias.  

O Novo não deve ter candidato a prefeito e vice e a Rede promete lançar a jornalista Valéria Monteiro como candidata. 

A grande dúvida é com o PSDB, que não deve ter candidato a prefeito e vice mas cujo o apoio é importante para garantir tempo de TV e rádio na propaganda eleitoral. A maior probabilidade é que os tucanos apoiem a candidatura de Dario Saadi e Wandão.


Mais notícias



Mais notícias do ACidade ON