Aguarde...

cotidiano

Com custo de R$ 3,4 milhões, ônibus elétrico já circula pela Unicamp

Veículo sustentável foi desenvolvido por pesquisadores da instituição, em parceria com a CPFL

| ACidadeON Campinas

Ônibus foi desenvolvido em parceria com a CPFL (Foto: Divulgação CPFL/Antônio Scarpinetti)
Um ônibus elétrico já circula pelo campus da Unicamp, em Campinas, e servirá para transportar alunos, professores e funcionários. O veículo custou R$ 3,4 milhões e foi produzido pela empresa BYD, em parceria com a CPFL (Companhia Paulista de Força e Luz). 

Para circular por 250 Km, o que equivale a um dia de uso, o ônibus precisa passar pelo menos 4 horas carregando. A energia utilizada pelo veículo é captada por meio de um sistema solar localizado no ginásio da Unicamp.  

Conforme explica o coordenador do projeto, Madson Cortes, além de ser elétrico, o ônibus também é sustentável e tecnológico. "A inserção do ônibus vem junto com uma série de sensores que nós desenvolvemos. A nossa ideia é transformar o ônibus em uma espécie de laboratório vivo", comenta. 

O veículo inclui também com uma câmera, com tecnologia chinesa, capaz de contar o número de passageiros, além de um sistema de monitoramento capaz de mediar a pressão e temperatura dos usuários ao longo das viagens. 

"Com base nessa informações é possível a gente monitorar o comportamento do ônibus e, através desses dados, desenvolver técnicas e métodos matemáticos que nos mostrem como fazer o transporte mais eficiente", pondera. 

O ônibus ainda conta com carroceria de piso baixo, três portas e sistema completo de acessibilidade, com espaço reservado para passageiros cadeirantes. A expectativa é de que, ainda no segundo semestre de 2020, o ônibus possa atender a comunidade operando em até três turnos.  

PROJETO CAMPUS SUSTENTÁVEL

O lançamento do ônibus elétrico ocorre como parte da execução do projeto Laboratório Vivo de Mobilidade Elétrica, que é uma das iniciativas do Projeto Campus Sustentável, iniciado em agosto de 2017. 

O conceito do Laboratório Vivo já é aplicado em empresas e universidades do mundo e se caracteriza pela possibilidade de coletar dados que subsidiem pesquisas diversas a partir dos usos de espaços e recursos do cotidiano. O que se pretende é criar um ambiente para a coleta de dados técnicos, econômicos e ambientais que alimentem pesquisas em diversas áreas de conhecimento.

Mais do ACidade ON