Aguarde...

cotidiano

Fogo na Estação Carlos Gomes danificou locomotiva histórica

Plataforma e locomotiva foram atingidas por incêndio que começou em mato

| ACidadeON Campinas

Incêndio na Estação atingiu locomotiva histórica (Foto: Denny Cesare/Código19)

O incêndio que atingiu a Estação Carlos Gomes na noite de ontem (30), em Campinas, danificou uma locomotiva histórica e causou estragos na plataforma de trens. 

Segundo o Corpo de Bombeiros, o incêndio teve início em uma área de mata próximo ao local. A suspeita é que por causa de ventos fortes registrados durante a noite, brasas tenham voado sobre a estrutura, dando início ao fogo. 

A estação abriga a oficina de restauro de trens da ABPF (Associação Brasileira de Preservação Ferroviária), responsável pelo conserto de locomotivas antigas. O trabalho visa a conservação da cultura e da história na cidade.  

Por causa dos trabalhos do Corpo de Bombeiros, a oficina não chegou a ser atingida pelas chamas. O incêndio foi controlado antes das 22h.  

LEIA TAMBÉM 
Fernando e Sorocaba lamentam incêndio em locomotiva usada em live

Foram atingidas a fachada e o telhado da plataforma, a residência do chefe da estação e saguões de bilheteria além de danificar parte da pintura da histórica Maria-Fumaça número 9, que era usada no transporte de carga e de passageiros.  

A locomotiva era uma das que fazia parte do tradicional passeio da Maria-Fumaça até a estação de Jaguariúna. Como os passeios foram suspensos por causa da pandemia, algumas das locomotivas ainda não voltaram a ser utilizadas no passeio que atualmente faz trajetos mais curtos. Como ela estava estacionada, acabou incendiada. Além dela, outros quatro veículos de voluntários que trabalham no local foram destruídos. Ninguém ficou ferido. 

Segundo o diretor administrativo da ABPF Campinas, Helio Gazetta Filho, as equipes esperam o aval da Defesa Civil para recuperarem os dados.  

"A plataforma vai ter que ser refeita, e o fogo queimou a tinta da locomotiva, quebrou vidros, as janelas, mas a estrutura por ser metálica não queimou. Temos uma equipe de restauro que assim que tivermos o aval vamos começar com os trabalhos", afirmou. 

Segundo o diretor, por sorte os danos não foram mais graves. "Nossa brigada atuou rápido, por sorte conseguimos conter sem que atingisse de forma mais grave nosso patrimônio", declarou. 

HISTÓRIA DA LOCOMOTIVA 

A locomotiva 9 foi fabricada pela alemã Borsig em 1912 e pertenceu à Estrada de Ferro Araraquara. Na época, ela era usada para o transporte de gado e café. 

Depois, foi comprada pela Usina Amália e chegou a ficar exposta em praça pública. Ela voltou aos trilhos há cerca de 20 anos. 

DIFICULDADES  

Em setembro de 1985, a associação sofreu o que é até aqui o maior baque nas suas mais de quatro décadas de existência, quando um incêndio criminoso destruiu dez vagões usados no transporte de turistas entre Campinas e Jaguariúna. Eles estavam estacionados na mesma estação. 

Atualmente, a ABPF passa por dificuldades financeiras após retomar as atividades depois de cinco meses de paralisação devido à pandemia.  

Os passeios turísticos em Campinas estão sendo realizados aos finais de semana, mas não têm chegado a Jaguariúna, já que a prefeitura da cidade vizinha ainda não liberou o retorno de atividades turísticas. Com isso, seguem apenas até a estação Tanquinho e com composições menores. 

Para tentar fazer caixa, a ABPF lançou campanhas de venda antecipada de ingressos, souvenirs, está com programa de associação aberto e fez promoção com ingressos para crianças por R$ 35 em outubro. 



Mais notícias



Mais notícias do ACidade ON