Aguarde...

cotidiano

Visitantes são flagrados sem máscara no 1º dia de horário estendido dos parques

Fase verde permite a reabertura estendida dos parques, mas visitantes ainda desrespeitam a norma de utilizar a máscara

| ACidadeON Campinas

Visitantes desrepeitam norma e circulam sem máscara nos parques (Foto: reprodução EPTV)

Os parques e bosques de Campinas ampliaram o horário de funcionamento e capacidade nesse sábado (17). No entanto, a novidade causou descaso de alguns visitantes, que foram flagrados sem a máscara de proteção enquanto circulavam nos parques. 

LEIA MAIS 
Parques passam a funcionar com horário e capacidade ampliados hoje 
Prefeitura inaugura ParCão, parque para cães no Taquaral
Sem máscara, Artur Orsi conversa com GM no Centro

A mudança segue a ampliação de horários e capacidades de outros setores que teve início há uma semana em clubes, comércio de rua e shoppings. A fase verde do Plano São Paulo trouxe a flexibilização maior de horário de atendimento, com 12h diárias (antes, na fase amarela, era permitido apenas 8h), e também de público (de 40% a 60%).  

A ampliação no horário de funcionamento dos parques acontece em Campinas uma semana após a cidade entrar na fase verde do Plano São Paulo de flexibilização da quarentena. Além de mais tempo abertas, as áreas verdes ampliam a capacidade de público de 40% para 60%.

Apesar das novidades, as regras ainda se mantêm. O uso da máscara em espaços públicos é uma dessas regras. 

DESRESPEITO

A dona de casa Ingrid Almeida visitou a Lagoa do Taquaral nesse sábado (17), mas ficou receosa. "Quando você entra no parque tem bastante gente olhando, contanto as pessoas, mas dentro dele tem muita gente andando sem a máscara", contou.

Para a fonoaudióloga Sandra Fontealba, que também visitou a Lagoa do Taquaral ontem, este não é uma momento para relaxar. "Ainda estamos em uma situação de pandemia, então todo cuidado é pouco", disse.

As entradas da Lagoa do Taquaral possuiam fiscais contando o número de pessoas entrando no parque, além de dispositores de álcool em gel , mas no Parque Linear Lagoa do Mingone não havia fiscais, nem álcool em gel e as pessoas circulavam livremente sem a máscara nesse sábado.

O mesmo acontecia na Pedreira do Chapadão, cuja fiscalização dependou da consciência de cada visitante, uma vez que não havia fiscalização, nem dispensores de álcool em gel. O economista Marcos José Barbieri visitava o local e concorda que é preciso mais cuidado. "É um período que precisamos ter bastante atenção. A pandemia ainda não acabou e é preciso ter muito cuidado e restrição", disse.

OUTRO LADO

Questionada sobre a falta de fiscalização, a Prefeitura de Campinas afirmou que todos os 24 parques e bosques da cidade possuem banners com orientações das medidas sanitárias nas entradas.

Disse ainda que os guardas observam e controlam a quantidade de pessoas nos locais e que eles são orientados a chamar a atenção dos visitantes que estiverem sem a máscara no local.

A Administração também afirmou que vai averiguar os parques que estão sem os dispensores de álcool em gel, uma vez que todos devem ter.

Mais do ACidade ON