Aguarde...

cotidiano

Campinas tem redução de 23% nas contratações de fim de ano

Contratações temporárias para o Natal vão ser as primeiras neste ano por causa da pandemia

| ACidadeON Campinas

Com retomada, comércio volta a contratações de temporários, mas ainda com número reduzido (Foto: Luciano Claudino/Código19)

Apesar da retomada gradual na economia, prejudicada pelo fechamento do comércio durante meses por causa da pandemia, a oferta de empregos temporários ainda registra queda em comparação com o mesmo período do ano passado.  

Segundo um balanço da Acic (Associação Comercial e Industrial de Campinas) são registradas 23,4% vagas a menos do que no mesmo período do ano passado.  

Ao todo, 11.140 vagas estão previstas para o período de Natal e ano novo na RMC (Região Metropolitana de Campinas), sendo 5.420 em Campinas. No ano passado, o número ficou em 14.545 na região, sendo 7.080 na metrópole.  

As vagas temporárias de final de ano vão ser as primeiras oferecidas neste ano. Segundo a associação, no Dia das Mães, Páscoa, Dia dos Namorados, Dia dos Pais e no Dia das Crianças, datas que normalmente contam com reforço de equipes, neste ano não receberam contratações de funcionários.

A data vem junto a expectativa de compras no Natal, e do comércio retomar ao fluxo normal de vendas. Segundo o proprietário de uma loja de chocolates, no Centro de Campinas, a data é vista como uma possibilidade para compensar o prejuízo do ano.

"A Páscoa e o Natal juntos representam 50% do meu faturamento no ano, como a Páscoa foi comprometida, vamos tentar recuperar no Natal" declarou Marcos Donizete Porcari.  

Na loja dele, já foram contratadas funcionárias temporárias, entre elas Anne Karolyne Caetano, que está no primeiro emprego. A contratação dá uma esperança para aqueles que estavam há meses em busca de uma oportunidade em meio a crise.  

"Acabei o ensino médio agora e estava em busca do primeiro emprego, surgiu a oportunidade e achei uma maravilha", declarou.  

Apesar da quarentena e a pandemia ainda continuarem em vigor, os comerciantes lidam com a data como a primeira importante após a quarentena mais severa.  

"Acho que vai ser realmente a data que vai ser a marca do 'pós pandemia'", declarou Mirian dos Santos da Rocha, gerente de uma loja de artigos de celular.


Mais notícias



Mais notícias do ACidade ON