Aguarde...

cotidiano

Covid-19: Jonas nega novo fechamento do comércio e aumento de casos em Campinas

Prefeito de Campinas afirmou que pandemia está controlada na cidade, ao contrário da situação do Estado

| ACidadeON Campinas

Prefeito negou possibilidade de novo fechamento do comércio (Foto: Karen Fontes/Código19)

O prefeito de Campinas, Jonas Donizette (PSB) rebateu durante a manhã dessa sexta-feira (20) comentários sobre a possibilidade de um novo fechamento do comércio na cidade devido a um agravamento da pandemia do coronavírus. 

A declaração de Jonas vem no dia seguinte ao anúncio feito pelo governo do Estado de São Paulo sobre restrições na área de Saúde.  

Ontem (19) o governador João Dória (PSDB) confirmou um aumento no número de internações e sinalizou alta dos casos de covid-19, adiantando que publicará um decreto determinando impedindo novas cirurgias eletivas e que a classificação do Plano São Paulo voltará a ser feita a cada 14 dias. Hoje, Jonas afirmou que Campinas não vai suspender as cirurgias eletivas (leia aqui)

Segundo a Prefeitura de Campinas, o cenário de aumento de casos no Estado não se reflete na cidade. Durante a transmissão de hoje, a secretaria de Saúde mostrou em números que houve aumento de 30% no atendimento de síndromes gripais na cidade. No entanto, segundo a Pasta, esse número não se refere a de casos do novo coronavírus, e os dados da pandemia na cidade seguem controlados e em queda na cidade. 

"Tivemos aumento na procura por questões gripais, tanto nos centros de saúde como nos prontos-socorros, mas não de covid. A confirmação de covid continua em um número baixo", afirmou o prefeito, negando boatos que circulam sobre um regresso da cidade nas fases da quarentena.  

"Não existe qualquer perspectivada de fechamento de comercio, isso não está nem sendo pensado nesse momento" disse. 

OS NÚMEROS  

Os dados mostrados pela Secretaria de Saúde de Campinas, compilados com os dados do Estado mostram que Campinas está atualmente com variação mensal de -14,4% em casos, e -55,7% em óbitos. Já o número de internações teve variação mensal também é negativo, com -21,9%.  

Segundo o secretário, tanto o número de positividades pela doença como de óbitos seguem ainda em queda. 

"A nossa sociedade pode ficar tranquila que não vamos jamais omitir os dados, se houver uma mudança seremos os primeiros a falar. Somos os responsáveis por tudo que fazemos. Não temos nenhum problema em dizer, e nesse momento temos que dar essa palavra de tranquilidade a população", declarou Carmino. 

TAXA DE TRANSMISSÃO 

A Fio Cruz (Fundação Osvaldo Cruz) divulgou nesta semana dados que demonstram um aumento na taxa de transmissão de covid-19 na cidade. Segundo os pesquisadores da instituição, a taxa hoje seria de 1,3- o que significaria que dez pessoas contaminadas transmitiriam a doença para outras 13.  

Apesar dos dados da fundação, a secretaria da Saúde declarou que os dados ainda não são confiáveis, e por causa da instabilidade nos sistemas do Ministério da Saúde, ainda é difícil calcular se de fato houve aumento.  

"Nós passamos algumas semanas com muita instabilidade no sistema e com informações não confiáveis. O observatório que faz essa análise para nós este muito inseguro e não tem como ter essa informação", afirmou Carmino.  

DECRETO

A assessoria da Prefeitura de Campinas informou em nota que a Secretaria de Saúde aguarda a publicação do decreto do Estado, mas adiantou que no âmbito do SUS municipal os leitos não foram desativados e a reversão pode ser feita a qualquer momento, de acordo com a necessidade.  

Hoje Campinas conta com 175 leitos de uti-covid nas redes pública e privada. Deste total, 99 estão ocupados e 72 estão disponíveis. Em julho, a cidade contava com 423 leitos de UTI exclusivos para covid. Em outubro, a Prefeitura havia feito uma reorganização de leitos de covid para leitos "gerais". 

NOS HOSPITAIS 

No HC (Hospital de Clínicas) da Unicamp, o hospital disse que manteve funcionando 63 leitos UTI exclusivos covid no período de 10 de maio até 28 de outubro. Desses 63, 37 foram credenciados e pagos pelo Ministério da Saúde e Secretaria de Estado da Saúde. 

Hoje, o HC tem 2 pacientes covid intubados na UTI normal, em área de isolamento e não há mais leitos exclusivos pra covid, apenas isolamento. O hospital disse também que já preparou o documento para pedir novo credenciamento. Sobre as eletivas, a assessoria disse que vai falar amanhã. 

Já no hospital PUC-Campinas, a unidade chegou a ter 25 leitos exclusivos pra covid. Desses, 12 eram de atendimento pelo SUS, mas este contrato acabou, segundo a assessoria. No momento, há 10 pacientes confirmados internados no hospital. 

Após fechamento temporário, devido à pandemia do novo coronavírus, os postos do programa foram reabertos gradativamente, com a adoção de medidas preventivas e protocolos sanitários, seguindo as diretrizes do Plano São Paulo, para minimizar os riscos de transmissão e garantir a segurança da população e dos colaboradores. 

A capacidade de atendimento foi readequada em todas as unidades, priorizando serviços que necessitam da presença do cidadão para serem concluídos, como solicitação de RG, transferência interestadual e mudança de características do veículo, por exemplo.


Mais notícias



Mais notícias do ACidade ON