Publicidade

cotidiano

Black Friday: Comércio do Centro de Campinas funciona hoje até 22h

Data traz expectativa de recuperação do setor comercial de Campinas após crise por causa da pandemia

| ACidadeON Campinas -

Com sexta de Black Friday, comércio de Campinas estende horário de funcionamento (Foto: Luciano Claudino/Código19)

O comércio da região central de Campinas vai funcionar em horário especial nesta sexta-feira (27) por causa da Black Friday. As lojas do Centro já abriram às 8h, e vão estender o atendimento até as 22h, visando conseguir atender a demanda do público.

A data, que traz promoções de produtos, é uma esperança para os lojistas compensarem as perdas durante a pandemia - principalmente durante o período em que foi obrigado a fechar as portas. Após quase um ano de crise, com fechamento de empresas e queda drástica no faturamento das vendas do comércio, o setor na RMC (Região Metropolitana de Campinas) têm expectativas otimistas de recuperação.

Segundo a Acic (Associação Comercial e Industrial de Campinas), é esperado um aumento de 35,5% no faturamento no comércio deste ano, com expectativa que a data movimente cerca de R$ 650 milhões na RMC. No ano passado, foram faturados R$ 480 milhões na região.  

LEIA TAMBÉM 
Black Friday: veja as dicas para não ser enganado 
Cuidados para uma boa compra na Black Friday

Apenas em Campinas, a movimentação deve representar cerca de R$ 292,5 milhões, uma expansão de 35,4% sobre o faturamento de 2019.

De acordo com o diretor da Acic, o economista Laerte Martins, as vendas devem ser impulsionadas principalmente pelo e-commerce, sendo que é previsto 60% das vendas de forma on-line, e 40% nas lojas físicas na região.

Ainda segundo as previsões da associação, a data deve se transformar na segunda mais importante do ano, ficando atrás apenas do Natal.

O ticket médio - valor médio das vendas - é estimado em R$ 600, sendo que os produtos mais procurados no período devem ser celulares, aparelhos de televisão, e eletroeletrônicos em geral, além de vestuário e calçados, livros, brinquedos, e produtos importados, como videogames, câmeras fotográficas e filmadoras.

Mais notícias


Publicidade