Aguarde...

cotidiano

Fase vermelha vale até hoje em Campinas; veja o que abre

A partir de amanhã (4) a liberação volta ao normal, com toda a região na fase amarela

| ACidadeON Campinas

 

Apenas comércios essenciais são permitidos de funcionarem hoje (Foto: Karen Fontes/Código19)

As medidas restritivas impostas pelo governo de São Paulo e que colocaram todo o Estado na fase vermelha vão até este domingo (3) em Campinas. Com isso, apenas serviços essenciais funcionam hoje, com comércio, shoppings, bares e restaurantes fechados, autorizados a funcionar apenas por delivery.

A partir de amanhã (4) a fase amarela volta a valer- com liberação para funcionamento de 40% da capacidade, por até 10h diárias.

O regresso à fase vermelha foi anunciado na terça-feira (22) pelo governador João Doria (PSDB), valendo para os dias 25, 26 e 27, e para os dias 1º, 2 e 3.  

Segundo o governo de São Paulo, a intenção com a medida foi de conter o avanço de casos e mortes por covid-19, já que nas últimas quatro semanas, o estado de São Paulo registrou aumento de 54% no número de casos positivos de covid-19, e o número de óbitos pela doença aumentou 34% em todo o Estado.

Segundo o governador, todas as regiões estão em alerta e nenhuma deve avançar à fase verde em janeiro. O Estado também informou que uma nova classificação será dada no dia 7 de janeiro.  

O QUE FECHA:

Com a fase vermelha ainda valendo hoje, shopping centers, galerias e estabelecimentos congêneres, comércio de rua, serviços em geral, bares, restaurantes e similares, salões de beleza e barbearias, concessionárias, academias e centros de ginástica, eventos, além de convenções e atividades culturais, como cinemas e teatros ficam proibidos de funcionar.

Para o comércio e serviços de alimentação, o funcionamento é permitido apenas para serviços de entrega (delivery) e que permitem a compra sem sair do carro (drive thru).

O QUE PODE FUNCIONAR SEGUNDO AS REGRAS DA FASE VERMELHA:

- Assistência à saúde, incluindo serviços médicos, hospitalares e de óticas

- Serviços de segurança privada

- Transporte de passageiros por táxi ou aplicativo

- Serviços de alimentação, como restaurantes, bares e congêneres, por entrega (delivery) ou retirada (drive thru)

- Padarias, supermercados, atacadistas e comércios que vendam gêneros alimentícios e produtos de limpeza

- Farmácias

- Serviços bancários, incluindo casas lotéricas

- Indústrias e fábricas, com a capacidade máxima de 30% nos refeitórios

- Hotéis, pousadas e outros meios de hospedagem

- Lavanderias e serviços de limpeza

- Entregas em geral

- Transportadoras, postos de combustíveis e derivados, armazéns, oficinas de veículos automotores, borracharias e serviços congêneres

- Construção civil com contratos para obras essenciais em vigor com a administração pública

- Veterinárias e pet

- Manutenção predial, elétrica ou hidráulica

- Lojas de materiais de construção

- Comércio de insumos para oficinas mecânicas

- Comércio de bens e serviços automotivos

- Abastecimento e logística de agropecuária e a agroindústria

- Serviços de entrega (delivery) ou retirada (drive thru) em geral

- Assistência técnica de eletroeletrônicos

- Atividades internas em comércios, escritórios e prestadores de serviço, sem atendimento a clientes

- Hospitais privados continuam proibidos de realizar cirurgias eletivas, até nova decisão e os serviços da Administração pública.

- Os templos religiosos poderão permanecer abertos, com 20% da capacidade. Mas maiores de 60 anos e pessoas com doenças prévias, não devem ir. A recomendação é de que os cultos sejam virtuais.



Mais notícias



Mais notícias do ACidade ON