Aguarde...

cotidiano

Temporal volta a causar estragos em cidades da região

Em Americana duas funcionárias de uma loja precisaram ser socorridas por um bote dos bombeiros;

| ACidadeON Campinas

Chuva dessa quarta causou pontos de alagamento por Campinas e cidades da região (Foto: Diego Rodrigues/Cedida)
As fortes chuvas, comuns nessa época do ano, continuam causando estragos em cidades da região de Campinas. O temporal registrado na noite desta quarta (13) e madrugada desta quinta-feira (14) deixou várias casas destruídas, carros ilhados, e duas moradoras precisaram ser socorridas por um bote dos bombeiros, em Americana. 

Em Campinas, moradores do bairro Itaguaçu tiveram muitos prejuízos. Na Rua Angelim de Castro, a lama da chuva invadiu várias casas e um grupo de moradores se juntou para retirar os entulhos. Além de destruir móveis, o temporal também derrubou o muro de uma das casas. 

Um dos motivos para o alagamento é que a única boca de lobo da rua não aguentou a quantidade de água. "Era para ter mais de uma boca de lobo, mas só tem uma para três ruas. E ela não suporta a quantidade de água que demanda Campinas", comentou o metalúrgico Cléber Ricardo, que também teve a casa atingida pela chuva. 

Na residência do morador Bruno Granja a água atingiu quase um metro de altura e só baixou depois que ele abriu um buraco na parede. "Eu já perdi roupa, sapato, alimento, geladeira, guarda-roupa. Eu só não quero perder minha vida", disse. 

Apesar dos estragos, nenhuma casa do bairro foi interditada pela Defesa Civil. Engenheiros da Secretaria de Habitação também estiveram no local para avaliar a situação dos imóveis. 

De acordo com a Defesa Civil, o maior volume de chuva registrado ontem em Campinas foi no bairro Taquaral, com 43.4 milímetros. 

AMERICANA 

Em Americana o temporal causou vários estragos na Avenida Bandeirantes, onde está localizado o rio Quilombo. Com o volume de chuva o rio transbordou e alagou a rua, ilhando vários carros durante a tarde e noite de ontem (13). 

Outro ponto de alagamento foi a Avenida Antônio Pinto Duarte, onde os motoristas tiveram que esperar a água baixar para continuar o trajeto. Já na Rua Anhanguera duas funcionárias de uma loja tiveram que ser socorristas de bote pelos bombeiros. Ambas passam bem. 

A Defesa Civil disse que monitora a região e que a cidade registrou 40 milímetros de chuva em uma hora. 

MONTE MOR 

Em Monte Mor a chuva também invadiu casas e destruiu muitos móveis. De acordo com os moradores da Rua Olga Milan, no bairro Capuavinha, a região sempre alaga quando chove e causa vários transtornos. 

O temporal também danificou a Ponte do Moreira. A correnteza que passa pelo Rio Capivari levou a cabeceira da ponte e rompeu uma adutora, que leva água para o Jardim Moreira. Segundo a Prefeitura, o conserto da ponte já foi feito, e o abastecimento normalizado. 

Já o asfalto da ponte, também danificado pela chuva, segue sem manutenção. Contudo, a Administração informou que só conseguirá trabalhar no problema quando o tempo estiver mais firme e sem chuvas. As estradas rurais, no entanto, já foram refeitas, segundo a Prefeitura. 

Os interessados em ajudar as vítimas dos alagamentos devem procurar o Fundo Social de Monte Mor, localizado na Rua 15 de Novembro, no Centro, que realiza uma ação de arrecadação de roupas e alimentos.  


SUMARÉ 

No bairro Matão, em Sumaré, também teve pontos de alagamentos. Uma sala de enfermagem do Posto de Saúde Angelo Tomazini ficou com goteiras. "Não sei de onde está vindo tanta água", disse um dos moradores em um vídeo enviado à EPTV Campinas. 

A Prefeitura de Sumaré foi procurada para comentar sobre a situação do posto, mas, até o fechamento desta matéria, não havia dado retorno. 

VALINHOS, INDAIATUBA E HORTOLÂNDIA 

Em Valinhos o problema foi um rio de lama no bairro Vale Verde. As estradas de terra ficaram completamente alagadas e o trafego de veículos ficou impossível.  

A situação se repetiu no bairro Campestre, em Indaiatuba, e em diversos bairros de Hortolândia.


Mais notícias



Mais notícias do ACidade ON