Publicidade

cotidiano

Prefeito de Hortolândia morre de covid-19 aos 65 anos

Angelo Perugini foi diagnosticado com a doença no dia 1º de fevereiro; morte ocorreu em hospital de São Paulo

| ACidadeON Campinas -


O prefeito de Hortolândia Angelo Perugini (Foto: Reprodução/Redes Sociais)
O prefeito de Hortolândia, Angelo Perugini (PSD), não resistiu às complicações da covid-19 e morreu na manhã desta quinta-feira (1º). O político, de 65 anos, estava internado em um leito de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) de um hospital de São Paulo e teve pioras no quadro de saúde nos últimos dias. Durante a manhã, a Prefeitura tinha avisado sobre o agravamento no quadro clínico. Já no final da manhã, a assessoria confirmou o óbito. 

Perugini foi diagnosticado com a doença no dia 1º de fevereiro e a primeira internação ocorreu no Hospital Samaritano, em Campinas. No dia 3 do mesmo mês, ele foi transferido para a UTI da capital.  

LEIA TAMBÉM  
Doria, Lula e políticos lamentam morte de prefeito de Hortolândia

Desde a internação, apesar de ter permanecido com o quadro estável, o estado de saúde sempre foi considerado grave por conta da idade e comorbidades que ele apresentava. Ele foi intubado no dia 7 de fevereiro. O vice-prefeito José Nazareno Zezé Gomes (PL), conhecido como Zezé, assumiu interinamente a Prefeitura. O sepultamento será feito na cidade de Jacutinga (MG).  

Em nota oficial, a família agradeceu as orações e disse que, em 59 dias, "ele lutou bravamente contra a doença, como fez a vida toda, seja pela harmonia e bem-estar da família, seja pelo desenvolvimento de Hortolândia e, principalmente, pela melhoria das condições de vida do povo hortolandense".

HISTÓRIA 

Angelo Augusto Perugini, mais conhecido como Ângelo Perugini, nasceu no dia 6 de abril de 1955, em Jacutinga, em Minas Gerais. Ele estava em seu quarto mandato como prefeito de Hortolândia. 

Ele é o irmão mais velho de Agnaldo Perugini, ex-prefeito de Pouso Alegre e ex-marido de Ana Perugini, ex-deputada federal. 

Na política, Perugini foi filiado ao PT (Partido dos Trabalhadores) por 36 anos. Ele se desligou no dia 1º de março de 2016. Pelo PT, foi prefeito de Hortolândia duas vezes, vereador em Sumaré e deputado estadual.

Mais notícias


Publicidade