Publicidade

cotidiano

Emdec estuda ampliar faixas exclusivas para ônibus em Campinas

A informação do estudo para o aumento dessas faixas foi confirmada pelo presidente da Emdec, Ayrton Camargo e Silva

| ACidadeON Campinas -

Na região central, vias como Francisco Glicério e Anchieta possuem faixas preferenciais e de circulação exclusiva dos coletivos (Foto: Denny Cesare/Código 19)
A Emdec (Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas) trabalha em um estudo para ampliar o número de faixas exclusivas para a circulação de ônibus do transporte público da cidade. A intenção é instalar nessas faixas radares de multa para evitar o tráfego de veículos comuns como já ocorre em faixas na área central. 

A informação do estudo para o aumento dessas faixas foi confirmada pelo presidente da Emdec, Ayrton Camargo e Silva, que disse que o projeto tem previsão de ser concluído até o meio desse mês. A operação dessas novas áreas está prevista para maio.

MELHORAR CIRCULAÇÃO  

Segundo o presidente da Emdec, as medidas têm a intenção de colocar o transporte coletivo como prioridade. Atualmente, Campinas já conta com faixas exclusivas para ônibus, que funcionam em horários de pico (durante a manhã e final da tarde), principalmente na região central onde há uma grande concentração de ônibus do transporte coletivo.  

"Estamos falando de usar o sistema viário com prioridade para o transporte coletivo. Dos 4,3 mil quilômetros de sistema, o transporte coletivo que atende pouco menos da metade de todos os veículos da cidade, e tem exclusividade em apenas 19 km", citou Ayrton.  

"Como quer que os ônibus cumpram horários ou tenham velocidade permitida se eles não têm uma via para chamar de sua? Moto e carros passam na frente desses veículos e desmonta toda a programação", acrescentou.  

Apesar de citar a ampliação das faixas, o presidente ainda não soube indicar quantas vias receberiam as faixas exclusivas.
"Estamos empenhados em analisar toda a rede de ônibus, e ver onde é viável implantar faixas exclusivas. Vamos analisando quais as vias que temos mais linhas de ônibus, sobretudo na região central, e fazemos estudos técnicos para ainda nesse semestre ampliar faixas onde for possível", explicou.

Segundo Ayrton, a prioridade é para implantação em vias onde há três faixas por sentido, e avenidas e pontos com grande fluxo de ônibus.  Na região central, vias como Francisco Glicério e Anchieta possuem faixas preferenciais e de circulação exclusiva dos coletivos. 

RADARES

O estudo ainda avalia o uso de radares para tentar coibir o tráfego de veículo nas vias exclusivas de ônibus. "Está em estudo e o radar é um instrumento para dar segurança para a circulação. O objetivo é aumentar as faixas exclusivas, mas para isso temos que fazer que o ônibus não dispute a via. Tem que ser fiscalizada para que a faixa permaneça com dono", explicou.

O Código de Trânsito Brasileiro define que transitar indevidamente nas faixas exclusivas de ônibus é infração gravíssima, com sete pontos na CNH e multa de R$ 293,47.  

Segundo Ayrton, após a concretização do estudo haverá uma divulgação das medidas com cronograma para as implantações, indicações de placas e mudanças de linhas, caso seja necessário.

Mais notícias


Publicidade