Publicidade

cotidiano

Dário sanciona lei que cria programa Mais Saúde Campinas

Programa institui a residência multiprofissional de saúde primária no SUS Municipal, por meio de parcerias com instituições de ensino superior

| ACidadeON Campinas -

Lei foi aprovada pelo prefeito (Foto: Prefeitura de Campinas)
O prefeito de Campinas, Dário Saadi (Republicanos) sancionou nesta quarta-feira (28) a lei que cria o Programa Mais Saúde Campinas. O programa visa incentivar a qualificação da "Estratégia Saúde da Família" e estimular profissionais da área a atuarem junto às equipes de saúde da família nas unidades básicas de saúde.  

A lei está publicada na edição de hoje do Diário Oficial. O projeto foi aprovado pelos vereadores da cidade no dia 7 deste mês.  

COMO FUNCIONA

Segundo o texto, o programa institui a residência multiprofissional de saúde primária no SUS Municipal, por meio de parcerias com instituições de ensino superior, visando à cooperação técnico-científica para o desenvolvimento dos programas de residência e o desenvolvimento de ações de integração ensino-serviço. 

Importante destacar que o "Mais Saúde Campinas" é diferente do "Mais Médicos Campineiro", que também trabalha com residentes para atuar na saúde da família e comunidades, uma vez que este, por exemplo, é exclusivo para estudantes de medicina. 

O Mais Saúde regula as ações que serão desenvolvidas para implementação e ampliação do Programa de Residência Multiprofissional em Saúde, criado em 2016, possibilitando que profissionais residentes de enfermagem, fisioterapia e nutrição possam ser alocados nas equipes de Saúde da Família das Unidades Básicas de Saúde do município.  

Neste ano, a Prefeitura incorporou mais sete profissões: odontologia, serviço social, terapia ocupacional, educação física, farmácia, fonoaudiologia e psicologia.  

ATUAÇÃO

Segundo a Administração, no início de abril, 49 novos profissionais, aprovados no Programa de Residência Multiprofissional em Saúde, passaram a atuar com as equipes de saúde da família nas unidades básicas de saúde.  

A rede municipal conta com outros 27 residentes que estão atuando desde 2020. O programa poderá chegar a ter até 120 residentes em um ano. A residência tem duração de dois anos, com carga de 60 horas semanais, período em que os residentes recebem bolsa auxílio do Ministério da Saúde, de R$ 3.330,43.





Mais notícias


Publicidade