Publicidade

cotidiano

Barragem de Artur Nogueira corre risco iminente de rompimento; entenda

Prefeitura de Artur Nogueira comparou risco iminente de rompimento como aconteceu em Mariana e em Brumadinho, em Minas Gerais

| ACidadeON Campinas -

Barragem corre risco de rompimento (Foto: Divulgação/Prefeitura de Artur Nogueira) 

A Prefeitura de Artur Nogueira alertou nesta quarta-feira (23) que a barragem da cidade corre risco iminente de rompimento. A Administração comparou ainda a ameaça de rompimento às tragédias que aconteceram nas cidades de Mariana, em 2015, e em Brumadinho, em 2019, ambas em Minas Gerais.

Segundo a Prefeitura, laudos do DAEE (Departamento de Águas e Energia Elétrica) e do IPT (Instituto de Pesquisas Tecnológicas) indicam este rompimento do reservatório de água.   

Em comunicado oficial, a Prefeitura e a Saean (Serviço de Água e Esgoto de Artur Nogueira) informaram que levantaram neste ano um processo de recuperação da Barragem do Córrego Cotrins e que se tratava de uma obra de caráter emergencial.

Ao todo, foram resgatados três laudos técnicos, os quais apontavam falhas na estabilidade e segurança da barragem.
Diante das condições alarmantes, o prefeito Lucas Sia (PSD) e a presidente do Saean Gabriela Montoya confirmaram que as conclusões dos relatórios indicam necessidade de recuperação imediata. 
 
De acordo com a atual Administração, a gestão anterior não tomou medidas apesar de saber o que indicavam os laudos, que seriam do começo do ano passado.

PLANO

A responsável pela autarquia explicou que a obra deve custar em torno de R$ 5,5 milhões.
Os órgãos que indicaram o risco de rompimento da barragem apontaram ainda que a obra deve ser feita agora, no período de estiagem que vai até meados de setembro.

Nesse período, há diminuição dos índices pluviométricos que permitirão que os serviços sejam executados com o reservatório em níveis mais baixos. Além de propiciar melhores condições para a movimentação de terra e compactação do maciço. 



LAUDO E POSSÍVEIS DANOS


De acordo com a Prefeitura, foram feitos novos relatórios com resultados obtidos por meio de sobrevoo de drone e simulação preliminar dos possíveis estragos provenientes de uma suposta inundação. 

Não há, no entanto, uma previsão de quando a barragem pode ser rompida e quantas pessoas seriam afetadas no caso.

Hoje ainda pela manhã, a Prefeitura anunciou que conseguiu a liberação da verba estadual para iniciar a obra. O prazo não foi divulgado. A assinatura para liberação deve ocorrer na tarde de hoje, às 15h30.


O DAEE 
 
O DAEE informou que "de acordo com a Lei 12.334/2010, a responsabilidade pela manutenção e segurança das barragens é do empreendedor, no caso o município de Arthur Nogueira. Após solicitação de auxílio da Prefeitura, o DAEE vai ajudar as equipes da administração municipal na revisão da estrutura, por meio de assistência técnica".   
 
O órgão disse ainda que "vale esclarecer que o estudo não apontou ruptura imediata, mas de eventuais riscos caso não ocorra a manutenção. Ressalta-se ainda que é equivocada a comparação das características de um barramento de água com os de rejeitos de mineração, como nos casos de Brumadinho e Mariana".

ATENDIMENTO

Hoje, o sistema de captação de água da represa Mariano Batista "Cotrins" é responsável por atender a demanda de 70% da população de Artur Nogueira. O senso de urgência das intervenções é justificado também tendo em vista essa dependência do Sistema de Abastecimento do município.

Publicidade