Publicidade

cotidiano

Polícia Civil prende três suspeitos de roubos de carga na região

Segundo a Polícia Civil, os presos estão envolvidos em ao menos três assaltos a caminhoneiros registrados entre julho e agosto na região de Aguaí e Paulínia

| ACidadeON Campinas -

Três homens foram presos acusados de integrar quadrilha de roubo de carga (Foto: Divulgação Polícia Civil)

A Polícia Civil prendeu na região de Campinas nesta sexta-feira (10) três homens suspeitos de integrar uma quadrilha de roubo de cargas nas rodovias do estado. Os acusados foram presos em Campinas e Paulínia.

A operação, denominada 'Piratas do Asfalto' foi comandada pelo SIG (Setor de Investigações Gerais) de Aguai e da delegacia de São João da Boa Vista.

Segundo a Polícia Civil, os presos, de 27, 28 e 33 anos estão envolvidos em ao menos três assaltos a caminhoneiros registrados entre julho e agosto na região de Aguaí e Paulínia.

De acordo com a corporação, todos os suspeitos tem antecedentes criminais, inclusive por crimes contra o patrimônio, como receptação e roubo. Os presos foram ouvidos e recolhidos para a cadeia de São João da Boa Vista. 

OS CRIMES  

Os policiais chegaram aos suspeitos após uma ivestigação sobre um roubo que aconteceu no dia 27 de julho entre Aguaí e São João da Boa Vista. Segundo delegado, os criminosos abordaram um caminhão que transportava carga de defensivos agrícolas avaliada em mais de R$ 600 mil. 

Os assaltantes renderam o motorista e o mantiveram sob a mira de arma de fogo por mais de quatro horas, enquanto roubavam a carga. Após o roubo, eles abandonaram o caminhão na cidade de Pedreira.

Já no dia 12 de agosto, a quadrilha voltou a atacar no mesmo km da rodovia. Desta vez, abordaram um caminhão que transportava combustível, avaliado em R$ 200 mil. Novamente os criminosos mantiveram o motorista refém durante horas e, após o roubo, o caminhão foi abandonado em Campinas. 

De acordo com o delegado, a quadrilha também agiu novamente no dia 25 agosto, em Paulínia, da mesma forma como nos crimes anteriores.

A SIG continua com o trabalho de investigação para identificar outros suspeitos da quadrilha e os receptadores das cargas roubadas.

Mais notícias


Publicidade