Publicidade

cotidiano

PF cumpre mandados em Campinas em operação contra a Precisa Medicamentos

Policiais buscam documentos relacionados ao processo da compra da vacina Covaxin

| ACidadeON Campinas -

Equipes da PF cumprem mandados em Campinas (Foto: Reprodução)


A Polícia Federal cumpre mandados em Campinas na manhã desta quinta-feira (28) em uma operação para buscar documentos apresentados pela empresa Precisa Medicamentos para o Ministério da Saúde no processo da compra da vacina Covaxin.

A operação acontece em conjunto com o MPF (Ministério Público Federal), a PF e a CGU (Controladoria Geral da União). Ao todo, são 11 mandados de busca e apreensão sendo cumpridos em Campinas, São Paulo e Brasília. 

Em Campinas, um mandado foi cumprido no bairro Cambuí relacionado a Roberto Pereira Ramos Junior, diretor do FIB Bank, empresa que ofereceu garantia financeira de mais de R$ 80 milhões em contrato firmado entre a Precisa Medicamentos e o Ministério da Saúde para compra da Covaxin.

A Precisa foi alvo da CPI da Covid, após por ter intermediado a aquisição de 20 milhões de doses da Covaxin com o Ministério da Saúde, em contrato de R$ 1,6 bilhão com suspeita de pedido de propina.

A INVESTIGAÇÃO

A Precisa Medicamentos entrou na mira da CPI por ter intermediado a aquisição de doses da Covaxin entre o Ministério da Saúde e a farmacêutica Bharat Biotech. 

Documentos enviados pelo Ministério das Relações Exteriores à CPI revelaram que o valor de US$ 15 por dose negociado pelo governo brasileiro para a compra do imunizante era superior ao estimado pela Bharat Biotech 

. 

Pelo contrato, seriam compradas 20 milhões de doses do imunizante - ao custo de R$ 1,6 bilhão. Em junho, após denúncias de irregularidades envolvendo a compra dos imunizantes se tornar alvo da CPI da Pandemia do Senado, a suspensão do acordo foi anunciada pelo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga. 

ESTUDO SUSPENSO 

Em Campinas, havia previsão de um estudo da Covaxin feito em parceria com o Ipecc (Instituto de Pesquisa Clínica de Campinas). Em julho, no entanto, o instituto mandou um aviso de cancelamento do estudo clínico aos cerca de 10 mil voluntários cadastrados em Campinas e região. 

A decisão veio após a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) anunciar o cancelamento definitivo dos estudos clínicos da vacina indiana no Brasil.

Mais notícias


Publicidade