Publicidade

cotidiano

Número de inscritos no Enem cai 47,4% em Campinas

Especialista em Educação vê falta de condições dos estudantes por conta da pandemia

| ACidadeON Campinas -

 

Estudantes aguardam do lado de fora de local de prova do Enem (Foto: Reprodução/EPTV Campinas)

O total de inscritos na prova impressa do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) em Campinas saiu de 22.276 em 2020 para 11.715 neste ano, o que representa uma queda de 47,4%.

Os dados do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) mostram a mesma situação em outras cidades da RMC (Região Metropolitana de Campinas).

A primeira prova do processo será aplicada na tarde deste domingo (21) em todo o Brasil. Os portões dos locais abrem às 12h e fecham às 13h. A duração máxima é de 5h30.

Para o especialista em Educação, Waldecy Floriano, muitos candidatos ainda estão inseguros e desmotivados porque enfrentaram dificuldades durante a pandemia.

Além da falta de acesso tecnológico para o EAD (Ensino À Distância), muitos jovens precisaram largar os estudos para trabalhar e ajudar as famílias financeiramente.

"É a necessidade de milhares de jovens mais carentes de complementarem a renda. Isso gera uma dificuldade de conciliar a rotina de trabalho e os estudos. E nem todos conseguiram isenção na taxa de inscrição", diz Floriano.

O valor cobrado para a inscrição é de R$ 85 e a avaliação será composta por 45 questões de linguagens, 45 de ciências humanas e redação. A segunda prova acontece no próximo domingo, dia 28.

"Fora da faculdade e sem uma profissão, esses estudantes não terão opção de escolha. Vai ser muito difícil, porque vão ter que aceitar o que oferecerem de trabalho, já que não estão prontos para competir", finaliza o especialista.

OUTRAS CIDADES

Na região metropolitana, Sumaré foi a que registrou a maior queda de inscritos na prova impressa deste ano: de 4.789 para 2.172, índice de 54,6%.

Depois de Campinas, com 47,4%, aparece Indaiatuba, onde o número caiu de 4.601 para 2.533, o que representa uma redução de 44,9%.

Mais notícias


Publicidade