Publicidade

cotidiano

Governo inaugura novos laboratórios de pesquisa agropecuária na região

Inauguração aconteceu hoje em Campinas e contou com a presença do vice-governador

| ACidadeON Campinas -

 

Evento de inauguração aconteceu hoje em Campinas (Foto: João Alvarenga/EPTV)

 
O governo no Estado de São Paulo inaugurou nesta terça-feira (30), em Campinas, dois novos laboratórios de pesquisa e desenvolvimento de tecnologia agropecuária, que funcionarão na região.  

Em Campinas, passa a funcionar a nova planta-piloto de processamento térmico do Instituto de Tecnologia de Alimentos. O espaço será usado em pesquisas para inovação em processos de pasteurização e esterilização de alimentos perecíveis.

Também na região de Campinas, a cidade de Nova Odessa passa a sediar o laboratório de aves e ovos do Instituto de Zootecnia, que vai atender demandas sobre qualidade, genética, reprodução, bem-estar e difusão de conhecimentos em diferentes sistemas de produção na avicultura. 

Além dos laboratórios na região, outros dois novos centros de pesquisa ficam na capital. O laboratório de experimentação em sanidade de peixes do Instituto da Pesca será utilizado para combate a bactérias e vírus na produção de pescado. 

Já o laboratório de doenças de suínos do Instituto Biológico passa a promover análises para viabilizar o comércio e a exportação dos animais, garantindo a sanidade da suinocultura e a qualidade da carne brasileira. O investimento para os novos laboratórios foi de R$ 1,8 milhão.

A INAUGURAÇÃO 

A inauguração aconteceu durante a manhã na sede do IAC (Instituto Agronômico de Campinas), em celebração aos 130 anos de atuação da secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado. O vice-Governador Rodrigo Garcia participou da solenidade.

"Novos laboratórios permitem que o Estado possa disseminar novas culturas por todo o Brasil, o que aumenta a produtividade e a renda no campo. São investimentos que darão muitos resultados positivos ao agronegócio", afirmou Garcia.

"Nosso principal desafio é a retomada após os impactos da pandemia. O que buscamos agora é criar novas alternativas de produção sustentável. Temos que produzir cada vez mais em menores áreas e com mínimo uso de defensivos e fertilizantes, por isso estamos investindo muito em pesquisa", declarou o secretário de Agricultura e Abastecimento, Itamar Borges.


Mais notícias


Publicidade