Publicidade

cotidiano

Balança comercial da região registra déficit de R$ 4,5 bilhões em outubro

Segundo dados da Ciesp Campinas, déficit representa aumento de 21,7% comparado com outubro de 2020

| ACidadeON Campinas -

Imagem ilustrativa (Foto: Edson Lopes Jr/A2 Fotografia)

Dados divulgados nesta semana pela regional de Campinas do Ciesp (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo) mostraram que os números da balança comercial nas indústrias da região, tiveram um saldo de US$ 810,7 milhões negativo no mês de outubro, que corresponde a cerca de R$ 4,5 bilhões de reais segundo a cotação do dólar de sábado (4).

No total, as importações registraram um total de US$ 1,08 bilhão (R$ 6,09 bilhões), 21,5% maior que o mesmo período do ano passado. Enquanto as exportações ficaram em US$ 269,8 milhões (R$ 1,5 bilhão), também com um aumento de 21%.

Segundo o relatório, o balanço representa um aumento no déficit de 21,7% em relação ao mesmo período do ano passado.

NÚMEROS

Entre os municípios que mais importaram, estão: Paulínia (42,3%), Campinas (21,6%), Sumaré (10,6%), Hortolândia (9,1%) e Jaguariúna (8%). 

Já entre os que mais exportaram, foram: Campinas (27,3%), Paulínia (26,7%), Sumaré (12,1%), Mogi Guaçu (7,2%) e Amparo (6,5%). O percentual do município é referente a sua participação em relação ao total mensal.

EMPRESAS ASSOCIADAS

Para os dados da pesquisa, o Ciesp-Campinas contou com 494 empresas associadas que são distribuídas em 19 municípios da região. 

O faturamento conjunto dessas empresas é de cerca de R$ 41,52 bilhões ao ano. Em conjunto, elas empregam cerca de 98.894 colaboradores.

PESQUISA SONDAGEM INDUSTRIAL

Além disso, os resultados da Sondagem Industrial divulgada nessa quarta-feira (1º), também pelo Ciesp, apontou que os empresários associados estão com expectativas mais positivas em relação ao desempenho econômicos no próximo ano. 

Em relação ao desempenho da empresa em 2022, quando comparado com 2021, 60% dos respondentes afirmaram que será "melhor", 8% "muito melhor" e 32% afirmaram que será "igual". 

Nenhuma das indústrias assinalou que acha que 2022 será "pior" que o ano anterior. 

DESEMPENHO DA ECONOMIA BRASILEIRA

Quando perguntados sobre a situação econômica da economia brasileira em 2022, comparado com o ano anterior, 64% delas apontaram que será "melhor", 4% "muito melhor", 20% "igual" e 12% "pior".

VOLUME DE PRODUÇÃO

Segundo o vice-diretor do Ciesp-Campinas, após uma análise dos dados da Sondagem Industrial, ele disse que o volume de produção de novembro diminui para 20% das empresas que responderam à pesquisa, comparado ao mês anterior. 

Enquanto que para 44% delas permaneceu estável e para 36% tiveram um aumento no volume de produção. 

FATURAMENTO

Ainda segundo o vice-diretor, cerca de 36% das associadas registraram uma queda no faturamento. Porém, um dado positivo apontado por ele é que o número de funcionários em novembro permaneceu estável para 80% das associadas, quando comparado ao mês anterior. 

AUMENTO DE CUSTO

Só que os custos de matérias-primas e componentes continuam pressionando as empresas. Cerca de 76% dos respondentes disseram que esse fator aumentou em novembro, assim como os custos de energia, água e transporte, que aumentaram para 80% das empresas associadas.

NÍVEL DE EMPREGO

Além das expectativas dos empresários, o Ciesp-Campinas também apresentou o resultado da Pesquisa Fiesp-Ciesp divulgou o número absoluto de empregos para a região, com dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), no mês de outubro.

Nesse período, o saldo em número absoluto foi positivo com 502 empregos para a região. 

E no acumulado do ano, de janeiro a outubro de 2021, o saldo também foi positivo, com cerca de 9.430 vagas.

Mais notícias


Publicidade