Publicidade

cotidiano

Queixas sobre manutenção no Centro de Campinas crescem 5,5%

Telefone 156 contabilizou mais de 3 mil pedidos até o momento; secretária de Urbanismo diz ter estudos para soluções

| ACidadeON Campinas -

Pichações e outros problemas motivam reclamações em Campinas (Foto: Reprodução/EPTV Campinas)
 

O telefone 156, ouvidoria telefônica que recebe queixas, pedidos e dúvidas da população, registrou 3.067 reclamações sobre o Centro de Campinas até o momento em 2021. O número é 5,5% maior do que os 2.907 chamados feitos ao longo dos 12 meses de 2020. 

As reclamações feitas no canal direto envolvem pedidos para a realização de serviços tapa-buracos, podas de árvores, limpeza de bueiros, calçadas, pichações, ou fixação e conserto de fios soltos de empresas de telefonia e internet. 

RISCOS E INSEGURANÇA 

Na esquina das ruas Luzitana e General Osório, por exemplo, os cabos caídos geram preocupação e causam riscos. A comerciante Lúcia Santos cobra uma solução. "Faz um ano que eu mudei e há um ano tem esse problema. As pessoas vivem caindo. Uma idosa caiu e precisou ser atendida pelo Samu e não tomam providências", conta ela. 

O número de pessoas em situação de rua e que são usuárias de drogas e os casos de roubos e assaltos também causam medo entre os frequentadores da região central. "Ver um morador de rua já deixa a gente com receio. Muitos se aproveitam, mas muitos precisam de ajuda também", disse a dona de casa Luciene da Silva. 

Pelas ruas e avenidas do Centro é comum encontrar quem já tenha sido vítima de crimes. "Tenho medo de assalto. Nem ando com nada. Já cortaram minha bolsa e levaram minhas coisas", relata a cabeleireira Vilma Igínio. 

Já o vendedor Amarildo de Lima Campos viu a loja perder itens da fachada. "Nós tínhamos um toldo e roubaram. Roubaram uma placa também", reclama. 

ESVAZIAMENTO 

Para quem trabalha, ou é proprietário de estabelecimentos no local, as pichações em imóveis, muros e paredes comprovam a sensação de abandono gerada pela mudança de endereço e encerramento das atividades de outros comércios. 

Isso porque é comum encontrar placas de aluguel em espaços fechados nos últimos meses. 

"São seis lojas fechadas só nesse pedaço. Afeta a gente porque tem menos movimento. Cada loja fechada resulta em clientes a menos", desabafa o comerciante Oziel Teixeira da Silva, que viu as lojas vizinhas fechando as portas ao longo deste ano.  

Pichações e outros problemas motivam reclamações em Campinas (Foto: Reprodução/EPTV Campinas)

RESPOSTAS E SOLUÇÕES 

A secretária municipal de Planejamento e Urbanismo, Carolina Baracat, afirma que está em andamento um estudo para atrair mais moradores para a região central. A ideia, segundo ela, é fazer com que o local receba novos investimentos e volte a atrair empresas e novos estabelecimentos. 

"O trabalho de análise é organizado e pensado para criar incentivos tributários e fiscais, fazendo com que as pessoas voltem a morar no Centro. Isso vai fazer com que o comércio e os serviços voltem a se instalar", promete ela. 

Procurada para comentar o aumento das reclamações pelo 156, a Prefeitura de Campinas afirmou que o total de chamados caiu desde 2018. Já sobre o o crescimento de 2020 para este ano, alegou que é difícil estabelecer uma comparação, porque houve no ano passado o fluxo de pessoas foi menor por conta da pandemia. 

Sobre os fios e cabos soltos no Centro de Campinas, a empresa Vivo informou que pode ir ao local e que novas queixas podem ser feitas pelo site oficial e as redes sociais da empresa. 
 
(Com a colaboração de Paulo Gonçalves/EPTV Campinas) 

Mais notícias


Publicidade