Publicidade

cotidiano

Ônibus: linhas voltam a circular normalmente após paralisação

Sindicato disse que aos poucos a operação vem sendo retomada gradualmente, e no período da tarde a expectativa é que o retorno aconteça em 100% do serviço

| ACidadeON Campinas -

Protesto afetou passageiros que dependiam do transporte durante a manhã (Foto: Luciano Claudino/Código19)

*Matéria atualizada às 15h50 do dia 27 de janeiro de 2022  

Linhas de ônibus do transporte público municipal de Campinas voltaram a funcionar normalmente após a paralisação dos motoristas durante a manhã desta quinta-feira (27).  Segundo a Emdec (Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas), todos os terminais estão abertos e a operação está praticamente normalizada. 

A greve foi organizada após o assassinato do presidente do sindicato da categoria, na manhã de ontem (26) (veja mais abaixo).

A volta da operação foi feita gradualmente depois do sepultamento de Nilton Aparecido de Maria. O velório foi realizado durante a manhã e contou com dezenas de motoristas e sindicalistas. O enterro aconteceu às 13h40. 

No final da manhã, a Emdec informou que chegou a protocolar, junto ao TRT (Tribunal Regional do Trabalho), um pedido de liminar para "garantir a adequada operação do sistema de transporte público coletivo". 

Segundo a Emdec, no final da manhã desta quinta-feira, por volta de 11h, 90% das linhas da cidade já estavam em operação, porém apenas com 35% da frota operacional.   

VALINHOS E PAULÍNIA

Durante a tarde, a Sou Valinhos, responsável pelo sistema na cidade, informou também que os ônibus voltaram a operar normalmente e que a retomada inclui a reabertura do terminal da cidade. 

Em Paulínia, a assessoria de imprensa da Prefeitura também confirmou que o a circulação foi normalizada por volta das 15h.

PREJUÍZOS

De acordo com o SetCamp (Sindicato das Empresas de Transporte Metropolitano e Urbano de Passageiros da Região Metropolitana de Campinas), três garagens foram paralisadas em Campinas. Com isso, cerca de 76 mil passageiros foram prejudicados. Mais cedo, a Emdec informou que de 200 linhas da cidade, 110 estavam paralisadas. 

Por volta de 10h40, o sindicato informou que as concessionárias prestavam atendimento parcial, com atendimento das principais linhas e com um terço da frota operando na rua.

Já no começo da tarde, o sindicato disse que aos poucos a operação era retomada gradualmente, e que, no período da tarde, a expectativa era que o retorno acontecesse em 100% do serviço.  

A PARALISAÇÃO

Motoristas de ônibus do transporte público de Campinas e região anunciaram uma paralisação na manhã desta quinta-feira (27) em protesto pela morte do presidente do sindicato da categoria, que foi assassinado na manhã de ontem (26).

Motoristas também acabaram bloqueando a Avenida João Jorge e a região do Viaduto Cury, na área central, no começo da manhã. Muitos passageiros que estavam nos ônibus foram obrigados a descer dos coletivos e terminar seu trajeto a pé.

Além do transporte coletivo de Campinas, linhas metropolitanas que ligam cidades da região também foram afetadas.

Segundo a EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos), houve registro de paralisação em 16 linhas intermunicipais da região de Campinas, que atendem principalmente os municípios de Valinhos e Vinhedo na ligação com Campinas. Segundo a empresa, representantes do sindicato impediram a saída dos ônibus no início da operação. 

Durante a tarde, a EMTU afirmou que as linhas intermunicipais afetadas pela paralisação iniciaram o processo de normalização.

O Grupo SOU, responsável pelas linhas de algumas cidades da região, também informou que "foi surpreendido nesta madrugada com uma paralisação dos motoristas nas cidades de Indaiatuba e Valinhos". Nas linhas municipais o processo também foi de retorno gradual.  




Mais notícias


Publicidade