Publicidade

cotidiano

Mulher denuncia racismo em shopping de Campinas: 'aqui tá cheio de preto'

Mulher acusada de injúria racial chegou a ser presa, mas foi liberada após pagar fiança de R$ 1,5 mil

| ACidadeON Campinas -

Mulher foi presa em flagrante, mas acabou liberada após pagar fiança (Foto: Reprodução/EPTV)

Uma mulher de 28 anos denunciou um caso de racismo no último fim de semana em um shopping de Campinas.
 

Segundo ela, ao entrar no playground para brincar com a filha de um amigo, ouviu de uma mulher, de 34 anos, que o local estava "cheio de preto". A mulher acusada de cometer o crime de injúria racial chegou a ser presa em flagrante, mas foi liberada após pagar fiança de R$ 1,5 mil. 

O caso aconteceu no último sábado (9) no Shopping Parque das Bandeiras, localizado no Jardim Ipaussurama. Em depoimento, a analista de Recursos Humanos Aline Cristina Nascimento de Paula contou que passeava pelo centro de compras quando ouviu as falas racistas da mulher. 

"Vamos embora que aqui está cheio de preto", a mulher teria dito ao filho, que também brincava no local. A vítima conta que questionou a mulher, quer teria dito ainda: "sou racista mesmo". 

Segundo a Polícia Civil, policiais militares foram acionados para atender a ocorrência e, no local, testemunhas informaram que a mulher fez um comentário racista contra a jovem. 

"Diante dos relatos de três testemunhas, a autora foi autuada e liberada após pagar fiança", informou a SSP (Secretaria de Segurança Pública). 

O caso foi registrado como injúria racial na 2ª Delegacia de Defesa da Mulher. A acusada vai responder pelo crime em liberdade. A defesa da agressora foi procurada, e afirmou que no momento não vai se pronunciar.  


DEPOIMENTO 

Indignada, a vítima gravou o momento da denúncia, mostrando também a abordagem de seguranças à mulher. 

"Eu estava brincando com a criança no playground aqui no Parque das Bandeiras. Essa já é a terceira vez que passo por isso, depois falam que não existe racismo no Brasil, olha o que eu tenho que passar", disse Aline, aos prantos. 

Testemunhas e outras pessoas impediram a mulher de sair do local, aguardando a chegada da polícia. 

Em entrevista à EPTV, Aline relatou como foi a situação. 

"A filha de um amigo meu falou que queria ir no playgroud. A gente foi, e assim que eu entrei a mulher já se levantou e falou 'vamos embora que aqui tá cheio de preto, e repetiu. Quando eu perguntei ela falou: 'é isso mesmo, eu sou racista mesmo, aí as pessoas se levantaram e falaram: 'senhora você está vendo o que está falando para o seu filho?', e ela confirmou. Aí foram seguranças, todo mundo, não deixaram ela sair, a polícia compareceu, fomos conduzidos a delegacia, mas ela pagou a fiança e saiu, agora 'tá por aí'", disse. 

"A gente sempre ouve comentários, algumas coisas e é assim que a gente leva, deixando passar, mas dessa vez não vai", acrescentou, citando que pretende entrar com uma ação contra a agressora. 

O QUE DIZ O SHOPPING 

Procurado, o Shopping Parque das Bandeiras afirmou que "assim que tomou conhecimento do ocorrido, atuou prontamente e prestou toda assistência necessária à vítima." 

"O empreendimento reforça ainda que não tolera nenhum tipo de discriminação em suas dependências e que possui valores como ética, humildade e transparência. Em busca de tornar esses valores cada vez mais presentes na rotina, o shopping criou um Comitê de Diversidade e Inclusão a fim de oferecer palestras, treinamentos e novos processos para que todos os colaboradores saibam atuar em casos como este", afirmou em nota. 

Vítima de injúria pede por justiça e que crime não fique impune (Foto: Reprodução/ EPTV)

Publicidade