Publicidade

cotidiano

Nutricionista registra BO após comer doce suspeito de conter formicida

Polícia investiga caso que ocorreu em restaurante da Bosch, em Campinas; BO foi registrado como tentativa de homicídio

| ACidadeON Campinas -

Caso foi registrado no 1º DP e depois encaminhado ao 8º (Foto: Denny Cesare/Código19)

Uma nutricionista de 48 anos registrou um BO (Boletim de Ocorrência) após comer um doce com suspeita de estar contaminado com formicida. O caso ocorreu em um restaurante Sodexo, localizado dentro da empresa Bosch, na Rodovia Anhanguera (SP-330), em Campinas, no dia 14 de abril.

As informações foram confirmadas hoje (27) pela SSP (secretaria de Segurança Pública) de São Paulo. De acordo com a pasta, a ocorrência foi registrada como tentativa de homicídio no 1º DP (Distrito Policial) de Campinas, mas encaminhada ao 8º DP, localizado no Conj. Hab. Padre Anchieta. Esta delegacia ficará responsável por apurar os fatos.

Sobre o caso, a Bosch e a Sodexo On-site esclareceram que "assim que tiveram conhecimento do incidente na unidade de Campinas (SP), abriram, imediatamente, um processo interno para a apuração dos fatos, bem como tomaram as medidas cabíveis em relação ao ocorrido. Vale ressaltar que não foi constatado qualquer dano à saúde de colaboradores e prestadores de serviços da localidade".

OUTRO CASO

No ano passado, a superintendência do HC (Hospital de Clínicas) da Unicamp confirmou que três enfermeiras foram intoxicadas com o ansiolítico Clonazepam no plantão noturno. A Administração do hospital instaurou sindicância para apuração dos fatos. O caso foi no dia 5 de novembro.

De acordo com o comunicado, as três profissionais passaram mal após beberem café na copa da unidade e foram "prontamente encaminhadas ao Pronto Socorro do hospital e liberadas horas depois". Outras quatro pessoas também ingeriram a bebida, mas não foram intoxicadas.

Popularmente conhecido como Rivotril, o medicamento é bastante eficaz contra transtornos de ansiedade, mas gera vários efeitos colaterais por provocar um efeito sedativo e inibir funções do sistema nervoso central.

Ainda conforme a nota do HC, as amostras do café foram coletadas para análise após suspeita de intoxicação alimentar. Os exames laboratoriais confirmaram a presença da substância na bebida servida no local.

Não há suspeita sobre quem teria colocado o medicamento no café, mas a superintendência instaurou sindicância administrativa para apuração dos fatos. Todas as profissionais que foram intoxicadas passam bem.

Mais notícias


Publicidade