Publicidade

cotidiano

Estudantes caminham 25 minutos para pegar ônibus que teve linha alterada

Mudança fez com que os alunos tenham que sair da PUC e caminhar até a Unicamp durante a noite; eles relatam insegurança

| ACidadeON Campinas -

Alunos enfrentam caminhada e risco de perder o coletivo (Foto: Reprodução/EPTV Campinas)
 Estudantes do campus I da PUC-Campinas, na Fazenda Santa Cândida, têm reclamado da alteração no itinerário da linha 652

De acordo com eles, o coletivo, que antes parava em um ponto na frente da PUC, deixou de passar pelo local. Com a mudança, os alunos precisam caminhar por 25 minutos para embarcar em um ponto na Unicamp. 

O ônibus liga a região das universidades a cidade de Sumaré. Sem parar no ponto próximo a PUC, o trajeto de 2,5 quilômetros é feito diariamente pelos estudantes após a aula, que pode terminar até as 22h35.  

Trajeto entre a PUC e o HC da Unicamp é de 2,5km (Foto: Reprodução/EPTV Campinas)

A reportagem da EPTV Campinas acompanhou, na última semana, um grupo de estudantes durante o trajeto entre as universidades. Na Avenida Próspero Jacobucci, principal ligação entre os pontos, há trechos sem iluminação. Segundo os estudantes, os assaltos na avenida são frequentes. 

A situação é pior nos dias de chuva, disse um dos alunos. "Além dos assaltos, nos dias de chuva a gente chega todo molhado para pegar o ônibus na Unicamp, sendo que aqui na PUC a gente podia se abrigar no ponto, ou em lugares próximos", relatou o graduando Augusto Santos. 

CONFLITO DE HORÁRIOS 

Outro problema enfrentado pelos estudantes é o conflito de horários entre o fim da aula, previsto para as 22h30, e o último ônibus, que passa às 23h na Unicamp. 

Com o problema, muitas vezes os alunos precisam sair mais cedo da aula para não ficarem sem transporte para casa. "É um descaso muito grande da empresa (responsável pela linha) com a gente. É muito difícil a nossa permanência na faculdade, pois já somos bolsistas. Além de todos os outros problemas ainda tem esse do ônibus", denuncia o estudante Marcos Aurélio. 

Os estudantes relataram ainda que a empresa não tem respondido o questionamento dos estudantes sobre a mudança no itinerário da linha. 

LOTAÇÃO  

Passageiros do 652 reclamaram ainda da lotação, que costuma ser pior que a encontrada pela reportagem (Foto: Reprodução/EPTV Campinas)

Durante o trajeto para Sumaré, a reportagem da EPTV constatou ainda que o coletivo viaja lotado. Passageiros relataram à reportagem que a situação incômoda é cotidiana, e reclamaram, além da lotação, da demora no trajeto da linha. "Eu entre nesse ônibus 22h. Saio dele quase 00h", disse uma das usuárias. 

ESCLARECIMENTOS 

Sobre a falta de iluminação no trecho da Avenida Próspero Jacobucci, a CPFL disse que vai mandar uma equipe para verificar o problema e, se for o caso, vai substituir as lâmpadas queimadas. 

Já a responsável pela linha, a Setcamp (Sindicato das Empresas De Transporte Metropolitano e Urbano de Passageiros da Região Metropolitana de Campinas), disse que vai analisar a possibilidade de mudança no itinerário do 652 sem causar nenhum prejuízo a outros usuários do transporte.

Mais notícias


Publicidade