Publicidade

cotidiano

Câmara inicia sessões em teatro e vota fim do uso de máscara em escolas

Projeto será votado em definitivo hoje; reuniões voltam a acontecer presencialmente mas em novo prédio durante reforma

| ACidadeON Campinas -

Reuniões vão acontecer em teatro durante reforma do Plenário (Foto: Câmara Municipal de Campinas)


A Câmara Municipal de Campinas volta a realizar reuniões presenciais a partir desta segunda-feira (9), fazendo a primeira sessão no prédio do Teatro Bento Quirino, no Centro. Entre as discussões, está a votação final do projeto que retira a obrigação do uso de máscara em escolas (veja baixo).

A transferência para o novo local ocorre enquanto durar a reforma no prédio da Câmara, localizado no bairro Ponte Preta, que sofreu atrasos e ainda não tem prazo definido para conclusão. A mudança das sessões para o teatro foi votada e aprovada na última semana.

Segundo a Câmara, inicialmente as reuniões serão mantidas no período matutino e sem a presença de público, apenas com vereadores e servidores "até para que haja certeza de que as instalações , que passaram por adequações recentes, esteja, adequadas às necessidades".

De acordo com a Casa, há previsão de que em breve as sessões voltem para o período noturno e sejam abertas à população. Por enquanto, as sessões são transmitidas pela TV Câmara, por sinal digital e em redes sociais do legislativo.

A PAUTA

A sessão desta segunda-feira (9) começa às 9h. Entre as propostas previstas para serem avaliadas está em análise definitiva, o PL (Projeto de Lei) que torna facultativo o uso de máscaras crianças menores de 12 anos em espaços públicos durante a pandemia de covid-19.

O projeto visa retirar a obrigação do uso da proteção em escolas, e foi aprovado em primeira discussão na semana passada. Caso seja aprovado em votação final hoje, o texto segue para análise do Executivo.

Segundo o autor, vereador Marcelo Silva (PSD), no atual momento da pandemia várias atividades já voltaram o normal e é necessário "trazer igualdade para as crianças que ainda necessitam ir de máscaras para a escola."

"O tema já foi amplamente discutido e a proposta desta lei vai na linha da razoabilidade. Foi liberado o uso da máscara em todos os lugares: shoppings, teatros, cinema, estádios de futebol... e nas escolas ela está sendo mantida. Não faz sentido", defende o parlamentar. 

HISTÓRICO

Em março, a Prefeitura de Campinas publicou o decreto que retirou a obrigatoriedade do uso de máscaras de proteção contra a covid-19 em ambientes fechados. Apesar da liberação, em escolas dos ensinos infantil, fundamental e médio o uso segue obrigatório, devido à baixa adesão vacinal.

Na época, a vacinação infantil estava abaixo do esperado, e atualmente a cobertura também é aquém do ideal. Segundo o último boletim epidemiológico, divulgado na semana passada, apenas 56,3% das crianças com idade entre 5 e 11 anos recebeu a primeira dose da vacina. 

O QUE DIZ A PREFEITURA

Sobre o projeto, a secretaria de Saúde informou, em nota, que a obrigatoriedade do uso de máscaras nas escolas é revista semanalmente, e que a demanda por leitos de UTI por crianças com doenças respiratórias é crescente, com ocupação total dos leitos via SUS.

"As medidas de prevenção serão reavaliadas quando o atual cenário de risco for superado, a partir de uma boa cobertura vacinal para covid-19 em crianças e a queda na circulação de outros vírus respiratórios. As duas situações vão garantir a retomada da capacidade do sistema de saúde em atender a necessidade de saúde de crianças doentes", disse a pasta em nota.





Mais notícias


Publicidade