Publicidade

cotidiano

Homem é preso por estelionato em venda de empilhadeira em Campinas

Suspeito mandou comprovante falso de Pix para proprietário de equipamento e tentou vender empilhadeira para cliente de São Paulo

| ACidadeON Campinas -

Empilhadeira recuperada (Foto: Reprodução/EPTV Campinas)

Um homem foi preso em flagrante na noite de ontem (9) em Campinas por estelionato. Segundo a GM (Guarda Municipal), ele recebeu por uma venda de uma empilhadeira que não era dele.

O caso ocorreu no distrito Campo Grande. A corporação informou que a venda da empilhadeira foi publicada em uma rede social e o estelionatário mostrou interesse pela máquina na semana passada.

"Ele olhou a máquina, filmou, tirou fotos e falou que a máquina era dele, que ia ficar com a máquina. Só que na verdade ele já tinha vendido essa empilhadeira para outra pessoa", disse o dono do equipamento, que não quis se identificar.

Depois, o estelionatário vendeu a empilhadeira para um comerciante de São Paulo, que pagou R$ 45 mil pelo equipamento. Na noite de ontem, quando os dois chegaram pra buscar a máquina, começou a confusão.

"Meu funcionário, olhando a situação, me ligou falando que ele já tinha carregado a empilhadeira e não deixou (sair). Eu falei para não deixar sair sem pagamento. Foi nesse momento que ele me mandou um Pix falso. Um comprovante falso no meu celular e o dinheiro não caía na conta", contou.

A GM foi chamada para evitar que o homem saísse do local, uma fábrica de lajes no Campo Grande. Após o ocorrido, todos os envolvidos foram levados para a Segunda Seccional da Polícia Civil, no Jardim Londres.

Durante o registro da ocorrência, o estelionatário devolveu apenas R$ 10 reais pra vítima. O suspeito já tem sete passagens pela polícia pelo mesmo crime.

A vítima que veio de São Paulo só pra buscar a empilhadeira. Além dos R$ 45 mil investidos na empilhadeira, ela também gastou R$ 1,5 mil com o guincho.

"R$ 35 mil ainda está em posse do estelionatário que, em tese, os dados fornecidos para depósito é da esposa deste homem", disse o Superintendente de Operações da GM de Campinas, Wallace Martins Soares.

O VERDADEIRO DONO

O verdadeiro dono da máquina só não caiu no golpe porque suspeitou do comprovante do PIX, uma vez que o dinheiro não caía na conta dele.

"Se eu acredito no comprovante ali no momento, que eu estava ocupado no trabalho... Eu acredito só no comprovante e libero... nesse momento eu estava sem a máquina e sem o dinheiro". (Com informações da EPTV Campinas)

Mais notícias


Publicidade