Publicidade

cotidiano

Diesel: após reajuste, preço em postos de Campinas se aproxima dos R$ 7

A alta, anunciada ontem pela Petrobras, começou a valer hoje, com aumento de R$ 0,40

| ACidadeON Campinas -

Aumento já está sendo repassado em postos da cidade (Foto: Reprodução/EPTV)

No primeiro dia do reajuste de 8,8% no valor do diesel em vigor, o preço do litro do combustível nos postos de Campinas já se aproximou dos R$ 7. 

A alta, anunciada ontem (9) pela Petrobras, começou a valer hoje (10). Com o reajuste, o preço do litro do combustível para as distribuidoras passou de R$ 4,51 para R$ 4,91, um aumento de R$ 0,40. 

Em postos de combustíveis visitados pela EPTV Campinas, os valores já tinham sofrido o reajuste. Em um posto, na Vila Marieta, o preço do diesel S-10 passou de R$ 6,53 para R$ 6,93, de ontem para hoje. Outros estabelecimentos também confirmaram que preveem fazer o mesmo até o final do dia.  

LEIA TAMBÉM 
Impasse: sindicato alerta para redução de ônibus com alta de diesel; Emdec nega

"Sexta-feira era um preço. No final de semana foi outro, e hoje já é outro preço. Está inviável, não têm condições", disse o caminhoneiro Roberto Araújo. 

"A gente vai tirando do que vai sobrar para manutenção para colocar no combustível para tentar trabalhar. Aumentar o frete não dá, se aumentar fica sem trabalhar", acrescentou outro caminhoneiro Manoel Carlos dos Santos. 

O motorista Pedro Ivo, que trabalha com transporte de mercadoria, disse que abastecer o tanque completo do veículo custou R$ 630. "R$ 630, é grana demais", disse. 

IMPACTO EM ALIMENTOS 

Segundo o economista da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), Fernando Sarti, nos últimos 12 meses, o valor do litro do diesel aumentou em torno de 50%, e o reajuste impacta nos preços de outros serviços. 

"O frete aumentando por conta do aumento do combustível provoca uma escalada inflacionária importante. A inflação oficial já está rodando em torno de 11,25%, que é o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo). Então vai acelerar", avaliou. 

REAJUSTE 

Segundo a Petrobras, esse foi o primeiro reajuste do combustível em 60 dias. A gasolina e o GLP (gás de cozinha) tiveram seus preços mantidos. 

Com o reajuste, a mistura obrigatória de 90% de diesel A e 10% de biodiesel passa a custar para a distribuidora R$ 4,42 por litro, em vez dos atuais R$ 4,06, uma alta de R$ 0,36. 

Essa é a parcela da Petrobras no preço cobrado do consumidor, que ainda inclui custos e margens de lucro das distribuidoras e dos postos de combustível, além do ICMS. 

A empresa justificou o aumento informando que o balanço global de diesel está sendo impactado, nesse momento, por uma redução da oferta frente à demanda.

"Os estoques globais estão reduzidos e abaixo das mínimas sazonais dos últimos cinco anos nas principais regiões supridoras. Esse desequilíbrio resultou na elevação dos preços de diesel no mundo inteiro, com a valorização deste combustível muito acima da valorização do petróleo. A diferença entre o preço do diesel e o preço do petróleo nunca esteve tão alta", informou a empresa na nota divulgada à imprensa.

Mais notícias


Publicidade