Publicidade

cotidiano

Replan: veja curiosidades da maior refinaria de petróleo do país, em Paulínia

Replan comemora 50 anos de produção nesta quinta-feira (12); além de tubulação com 964 km de extensão até Brasília, empresa conta com 17 unidades e tochas de liberação de gás

| ACidadeON Campinas -

Replan conta com 17 unidades de processamento e refino de petróleo, em Paulínia (Foto: Luciano Claudino/Código 19)
Na semana em que a Replan (Refinaria de Paulínia) comemora 50 anos, o acidade on Campinas desvendou diversas curiosidades da maior refinaria de petróleo do país.

Quem passa pela Rodovia Professor Zeferino, em Paulínia, facilmente percebe a presença da unidade principalmente pelos seus enormes barris e pelas torres com tochas de fogo.

A refinaria faz aniversário neste dia 12 de maio. São 50 anos de produção e atividade, com início marcado em 1972. A empresa é a maior do Brasil em capacidade de processamento de petróleo, com 69 milhões de m³ por dia, o que equivale a 434 mil barris.

Instalada em uma área de 9,1 km², a Replan processa 20% de todo o refino de petróleo do Brasil, sendo quase a sua totalidade de petróleo nacional, grande parte oriundo do pré-sal da Bacia de Santos veja o vídeo com imagens aéreas abaixo.

Leia mais   

Replan, em Paulínia, terá investimento de R$ 2,2 bilhões da Petrobras até 2025
Replan divulga faturamento bruto de R$ 70,9 bilhões em 2021
 
Petrobras assina contrato para construção de unidade de diesel da Replan

Além de possuir 17 unidades de processamento de derivados de petróleo, a empresa possui uma tubulação subterrânea com 964 km que parte da cidade pertencente à RMC (Região Metropolitana de Campinas) e segue até Brasília e tochas para a liberação de gás - confira algumas curiosidades da refinaria abaixo.

OSBRA

A refinaria de Paulínia possui uma rede de tubulação para o transporte do produto refinado que atravessa estados e diversas cidades. Intitulada de Movimentação OSBRA, o equipamento possui extensão de 964 km e segue de Paulínia para Ribeirão Preto, Uberaba, Uberlândia, Senador Canedo, até chegar a Brasília.

Com capacidade de 164 milhões de m³, o sistema foi inaugurado em dezembro de 1996 e possui vazão de 900 m³ por hora.

USO DAS TOCHAS

As chamadas tochas são equipamentos de segurança utilizados para a queima controlada de gases. Quem costuma passar pela rodovia consegue visualizar a chama de fogo.

"As tochas são um motivo de curiosidade. Nós temos três tochas aqui na refinaria, que são dispositivos de segurança. Parte dos volumes que nós temos armazenados nos equipamentos e nas torres é gás. E esse gás, às vezes, precisa ser retirado dos equipamentos", explica o gerente Rogério Daisson. Ele explicou que o normal da chama é ela ter altura média.

De acordo com Daisson, a queima dessas substâncias é necessária para o bom funcionamento da refinaria.

"Ele (o gás) é destinado para as tochas, que fazem a queima de maneira segura. Toda tocha é um dispositivo de segurança e é projetado para fazer essa queima de maneira segura e, também, ambientalmente adequada, para que não agrida o meio ambiente com essa função", finaliza.

CURIOSIDADES

A Refinaria de Paulínia foi inaugurada em 12 de maio de 1972, época em que a cidade acabava de ser emancipada politicamente de Campinas. Sua construção começou em julho de 1969 e foi concluída em 1 mil dias, prazo que até hoje é referência para a indústria do petróleo. A área onde hoje está instalada pertencia à antiga Fazenda São Francisco, que foi desmembrada e nos foi doada pela prefeitura de Paulínia. 
 
Refinaria de Paulínia completa 50 anos de produção nesta quinta-feira (12) (Foto: Bruna Ferreira)
A cidade foi escolhida estrategicamente para a construção da que é hoje a maior refinaria do Brasil. Paulínia está a 118 km da capital paulista e sua localização, além de permitir maior facilidade de escoamento da produção, está inserida em um contexto de grandes facilidades logísticas, com acesso às principais vias de transporte rodoviário, ferroviário e terminais aéreos do estado de São Paulo.

SIMULADOS E BRIGADISTAS

A Replan conta com uma equipe de segurança industrial composta por cerca de 150 brigadistas capacitados e a postos para qualquer possível acidente. A refinaria têm vários equipamentos de combate às emergências, como a projeção de água com espuma, e o trabalho é realizado 24 horas por dia.

Para visitar o local, foi necessária a utilização de um macacão do tipo RF NR10, específico para o ambiente e dotado de uma proteção antichamas, contra arco elétrico e Fogo Repentino ("Flash Fire").

Além disso, os EPIs (Equipamento de Proteção Individual), como capacete, protetor auricular, luvas e óculos, são indispensáveis durante o passeio pelas instalações. Essa foi a primeira vez que a refinaria abriu as portas para equipes de reportagem.

"Nós temos que ter essa brigada pronta para qualquer situação que se faça necessária. Fazemos também simulados de situações diversas e de vários cenários de situações técnicas, como o de um vazamento atingir um corpo hídrico. Temos treinamento e simulado para isso", comenta Rogério.

PRINCIPAIS PRODUTOS

Os principais produtos refinados na Replan são diesel, gasolina, querosene de aviação (QAV), gás liquefeito de petróleo (GLP), óleos combustíveis, asfaltos, nafta petroquímica, raro, coque, propeno, enxofre, fluidos hidrogenados. 
 
Replan tem produção de diesel, gasolina, gás de cozinha, entre outros derivados do petróleo (Foto: Luciano Claudino/Código 19)
UNIDADES

A empresa conta com 17 unidades, sendo elas:

- 2 unidades de Destilação;
- 2 unidades de Craqueamento Catalítico;
- 2 unidades de Coqueamento Retardado;
- 3 unidades de Hidrotratamento de Diesel;
- 2 unidades de Hidrodessulfurização de Nafta Craqueada;
- 1 unidade de Hidrotratamento de Nafta de Coque;
- 1 unidade de Recuperação de Hidrogênio;
- 1 unidade Separadora de Propeno;
- 3 unidades de Geração de Hidrogênio.

Confira imagens aéreas da Replan, em Paulínia:
 

Mais notícias


Publicidade