Publicidade

cotidiano

Arrastão em escola de Campinas: pais relatam choro e insegurança de alunos

Estudantes afirmam que bandidos armados entraram pela quadra; veja vídeo de imagem de câmera de segurança

| ACidadeON Campinas -

Viaturas da Polícia Militar foram até a escola após o crime (Foto: Reprodução de vídeo/ EPTV)

Pais de alunos da Escola Estadual Dr. Newton Oppermann, alvo de um arrastão na noite de ontem (11), em Campinas, disseram estar traumatizados e sem segurança para deixar os filhos nas aulas. 

Na noite de ontem dois criminosos armados invadiram a escola, no Jardim Florence e foram até uma sala de aula, onde roubaram os estudantes. Os alunos relatam que os bandidos entraram pela quadra esportiva e levaram celulares, relógios e colares (veja abaixo). 

MEDO 

"Até agora eu estou bem traumatizado, se trata de um filho da gente. A gente acompanha eles até a escola na sensação de que vai estar seguro. Ela (minha filha) chegou em casa com alguns amigos chorando e relatando o que aconteceu, que entraram armado, roubaram celular... Agora estamos vivenciando esse trauma e esse drama. A gente reivindica segurança em tempo integral para as crianças, não têm como a gente ficar em casa sabendo que o filho está correndo perigo", disse Dinei Ferreira Lima, pai de uma estudante. 

Por causa da insegurança, uma mãe afirmou que vai transferir a filha de escola. 

"Eu não queria, mas vou tirar minha filha daqui. É do lado da minha casa mas vou tirar. Quem garante que não vão entrar em outra sala? O que nos deixa chateados também é que a Secretaria de Ensino não deu nenhuma resposta. Está tendo aula como se nada tivesse acontecido", desabafou Zilma dos Santos. 

A AÇÃO 

Imagens de câmeras de segurança da escola registraram parte da ação dos criminosos. No vídeo, é possível ver quando a dupla vai até a sala de aula. Um dos homens entra, enquanto outro fica na porta. Em seguida o segundo criminoso também entra na sala para apoiar o roubo. 

Após o assalto, os dois saem da sala e fogem em seguida. Um deles levava uma mochila nas costas.  


Segundo o relato de um aluno da escola, os bandidos entraram pela quadra esportiva. 

"Eles entraram na escola pela parte da quadra, onde tem uma parte que tem um terreno baldio por fora da escola. Pularam a grade e foram na primeira sala de aula que tinha mais perto. Não tinha segurança nenhuma, não tinha ninguém no corredor. Eles foram na primeira sala que era a minha", contou um adolescente que estava no momento do arrastão. 

"Um ficou na porta só vigiando e o outro foi recolhendo os celulares. Pegaram celular, relógio, prata, tudo que tinha de valor. Eles levaram e saíram pelo mesmo lugar que entraram, pela quadra. Um deles estava armado e os dois estavam com máscara e capuz. Não dava pra ver muito", afirmou. 

Uma das mães de alunos conta que segundo os relatos, os bandidos chegaram a zombar dos estudantes. 

"Eles entraram numa tranquilidade, foram sarcásticos, davam risada, falaram 'estudem mesmo que a gente nunca gostou de estudar', deram risadas dos alunos, foram pegando tudo. Pegaram a mochila de um dos alunos, colocaram tudo dentro e ainda falaram que não era brincadeira, bateram a mão na arma", disse Elizabeth Pereira da Silva. 

O QUE DIZEM OS REPONSÁVEIS

Em nota, a Seduc (Secretaria da Educação do Estado de São Paulo) lamentou que a escola e seus alunos tenham sido vítimas de furto. 

"A Polícia Militar esteve no local e nenhum estudante ficou ferido. Os responsáveis pelos estudantes foram informados sobre o ocorrido. A gestão da unidade escolar está tomando providências junto aos órgãos de segurança pública", informou em nota. 

Segundo a pasta, a equipe do programa Conviva irá prestar apoio à comunidade escolar. 

"Aos alunos será disponibilizado atendimento do programa Psicólogos na Educação, mediante da autorização dos responsáveis", completou a nota. 

Procurada, a Guarda Municipal de Campinas informou que não atendeu o caso, mas vai fazer reforço de patrulhamento no local. 

Já a Polícia Militar informou que o policiamento preventivo e ostensivo "já ocorre diuturnamente na região, além do patrulhamento do programa Ronda Escolar nas imediações da escola". O caso será investigado pelo 11º Distrito Policial.

Mais notícias


Publicidade