Publicidade

cotidiano

Impacto da pandemia faz Campinas reordenar currículo escolar

Educação identificou defasagem na alfabetização e nos conceitos matemáticos; entenda o programa

| ACidadeON Campinas -

Escola municipal de Campinas (Foto: Carlos Bassan/PMC)
 

A Prefeitura de Campinas anunciou hoje (19) uma série de medidas para o reordenamento do currículo escolar devido aos impactos causados pela pandemia de covid-19 e a ausência das aulas presenciais nas escolas entre 2020 e 2021. 

O Programa Superação é fruto da análise feita por um grupo de professores da rede municipal. O trabalho identificou problemas e dificuldades diferentes em cada escola e faixa etária, mas apontou defasagens em comum no aprendizado. 

No Ciclo II, entre o 4º e o 5º anos, por exemplo, aproximadamente 15% dos estudantes estão com a alfabetização não consolidada. Já no Ciclo III, no 6º e 7º anos, cerca de 40% têm defasagens nos conceitos matemáticos (veja abaixo). 

Ao todo, R$ 150 milhões em equipamentos tecnológicos foram comprados pela Prefeitura. Os itens que já começaram a ser distribuídos incluem mesa digitalizadora, tablets, chromebooks e leitores digitais (entenda melhor abaixo). 

O lançamento foi feito nesta quinta-feira (19) em live do prefeito Dário Saadi (Republicanos). 

ANÁLISE DOS IMPACTOS 

Foram avaliados 19 mil alunos entre o fim do ano passado, após a retomada das atividades presenciais, e o início deste ano. Com os resultados, cada uma das 45 unidades de ensino elaborou e apresentou um plano de ação de aprendizagem. 

"Cabe ao poder público ter ações e programas consistentes. O programa é ousado, não só do ponto de vista das alterações, mas também do aporte de tecnologia", defendeu o prefeito de Campinas, Dário Saadi. 

Além de Dário, o secretário de Educação, José Tadeu Jorge, e o diretor pedagógico da pasta, Luis Roberto Marighetti, participaram da apresentação. Marighetti, inclusive, explicou que a ideia era atender a rede de modo uniforme. 

"O prejuízo não foi igual. Foi um impacto diverso em cada escola e em cada aluno, dependendo da idade. Se a gente adotasse os processos de reforço e de recuperação, só reforçaríamos isso", argumentou ele sobre o reordenamento. 

ALFABETIZAÇÃO E MATEMÁTICA 

Questionado sobre a defasagem da alfabetização, José Tadeu Jorge fez questão de defender que os resultados apontam várias diferenças. "São vários graus de alfabetização. Não é que não estejam alfabetizadas", ponderou o secretário. 

Já o diretor pedagógico da secretaria, confirmou que 683 crianças apresentam a dificuldade com base nos níveis que deveriam ter nos respectivos anos. 

"O processo é contínuo. Eles não estavam em nível adequado para aquele momento escolar. Como é preciso medir com base na expectativa para aprendizagem daquele ano, entendemos que não estariam no nível", explica. 

Ao detalhar os impactos nos bairros, Marighetti citou as regiões Sul e Noroeste como as que mais apresentaram defasagens e problemas no aprendizado dos alunos. Por outro lado, diz não ver relação com as condições econômicas. 

"A gente imaginava que se daria pelas condições econômicas, mas os mais pobres não tiveram maior impacto. A questão de interação foi importante. Escolas que conseguiram melhorar o vínculo se deram melhor", aponta ele. 

Sobre os conceitos matemáticos, o diretor afirma que o índice chamou muito a atenção e será reavaliado, porque há discrepâncias muito grandes. "Entendemos que pode haver distorção, porque é número inicial do levantamento", finaliza. 

ESTAGIÁRIOS

Além da compra de equipamentos, foram definidas ações para o reforço do aprendizado. Uma delas envolve a contratação de 600 estagiários. Além de formações específicas para cada local, a atuação se divide em duas frentes: 

- Estagiários de pedagogia para o Ensino Infantil e anos iniciais do Ensino Fundamental 

- Estagiários de Biblioteconomia para ampliar o incentivo à leitura nos anos finais do Fundamental 

PROFESSORES ADJUNTOS 

Também foi anunciada a ampliação do quadro de professores adjuntos. São cerca de 60. Destes, parte das contratações está em curso e outra parcela já foi absorvida pela rede, ou está atualmente em fase de nomeação para as vagas. 

Para lidar com os casos de alunos que sentiram os efeitos do isolamento, ampliar o acolhimento das vítimas de bullying e melhorar o convívio escolar, 35 psicólogos serão contratados através do projeto Ecoar, em parceria com a PUC. 

Por conta da compra de equipamentos tecnológicos, como mesa digitalizadora, tablets, chromebooks e leitores digitais, a secretaria também vai promover a formação dos profissionais para a utilização dos itens na sala e nas atividades. 

Questionado sobre a segurança dos materiais, o prefeito Dário Saadi informou que, devido aos casos recentes de furtos e violência, a GM (Guarda Municipal) reforçou o monitoramento e as rondas no entorno das escolas da cidade.

Publicidade